quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Salmão grelhado com cogumelos em molho de Dijon


Caros Chefes e apreciadores de cozinha aqui estou de volta à faca. O prato que hoje vos apresento é de rápida e simples execução. O segredo é apenas a frescura do produto. O tema "ingredientes frescos" é da maior importância na execução dos meus pratos. Tenho lido receitas que recorrem muito a ingredientes em lata, o que para mim é um erro fatal. Comer no MacDonalds tem para mim o mesmo efeito...triste, mas vamos agora ao que interessa.


Chefes, à faca....

2 Filetes de salmão frescos
1 lima
1 colher de sopa de Mostarda de Dijon 
200ml natas
2 folhas de menta
300g de cogumelos frescos
1/4 de pimento vermelho
8 batatas
1 alho francês
300g rúcula
2 tomates
Delícias do mar
Azeite
Sal
Pimenta

Cozer as batatas num tacho. De seguida, no mesmo tacho, colocar o alho francês finamente picado com o azeite e adicionar, 5 minutos depois, as batatas juntamente com uma porção generosa de azeite. Partir as batatas com um garfo o suficiente para que estas absorvam o azeite e juntar de seguida meio copo de água, temperando a gosto com sal e pimenta e deixando durante 5 minutos a cozer. Juntar o pimento, asdelícias do mar, o tomate e a rúcula. Deixar em lume brando até os legumes se encontrarem no ponto (consistência macia e solta).

Temperar o salmão com sal e pimenta e colocar numa frigideira, em lume médio, até o salmão escorrer a gordura (6 minutos de cada lado). Espremer o sumo de 1 lima no peixe e esperar o sumo evaporar.
Numa frigideira com azeite colocar os cogumelos em lume brando até a água dos mesmos evaporar. Colocar 1 colher de mostarda de Dijon e a menta picada, mexer bem para no fim colocar as natas.
Empratar.....Bom trabalho Chefe e bom apetite!


Nota positiva merece também o vinho que podem ver na segunda foto, trata-se de um Pêra Doce 2009 oriundo do Alentejo... Fantástico!

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Bifinhos com cogumelos balsâmicos e farinheira


O frio presta-se a isto. Abre apetites, mistura sabores, estimula paladares. E por vezes damos por nós a pensar a que será que sabe se juntarmos isto com aquilo. Se correr mal, paciência, não voltaremos a repetir a experiência. Se correr bem, as sinapses ficam inundadas de impulsos eléctricos ao tentar reproduzir aquilo que nos ocorreu num momento de inspiração...


Bifinhos com cogumelos balsâmicos e farinheira

2 bifes do lombo
Sal e pimenta q.b.
1 farinheira sem pele e cortada em pedaços
1/2 embalagem de cogumelos frescos laminados
1/2 embalagem de tomate-cherry
2 colher-sopa de azeitonas pretas laminadas
Vinagre balsâmico q.b.
50g de rúcula selvagem
Fatias de pão integral com sementes

Colocar, no wok, os cogumelos com o vinagre e deixar reduzir de tamanho. Juntar os tomates e misturar bem enquanto libertam os sucos. Adicionar a farinheira e as azeitonas, mexendo sempre para desfazer parcialmente o enchido. Antes de servir, espalhar a rúcula e misturar.
Entretanto, grelhar os bifes, previamente temperados com sal e pimenta, durante 3 mins de cada lado para ficarem mal passados.


Nota: o pão foi feito na MFP utilizando 300g de farinha integral e 200g de farinha branca (ambas pré-preparadas para a MFP) e adicionando sementes de sésamo e linhaça castanha.


segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Frango recheado com mozarella




Caros garfos e facas, aqui estou novamente para apresentar mais um prato delicioso e de simples execução. Aproveito para agradecer todos os comentários e visitas ao nosso blog, que têm aumentado a um ritmo vertiginoso, e me tem empolgado em escrever cada vez mais para vocês. É gratificante escrever assim.


Chefes, à faca....
2 peitos de frango
1 queijo mozarella de búfala
8 folhas de manjericão frescas (de produção caseira, neste caso)
2 fatias de presunto
2 tomates
1/4 de pimento vermelho
500g de ervilhas
Azeite
Sal
Pimenta
1 Limão ou Lima


Abrir bem o peito de frango e colocar 4 folhas de manjericão e metade da mozarella. De seguida enrolar e envolver com 1 fatia de presunto. Selar bem o frango com fio de cozinha.
Entretanto deixar as ervilhas a cozer em água, azeite, sal e pimenta. Depois com um liquidificador ou blender fazer o puré.
Colocar o frango no grelhador e virar para conseguir um cozinhado uniforme e correcto. Deixar durante 5 minutos o pimento e tomate no grelhador.
Empratar.....Bom trabalho Chefe e bom apetite!


O vinho com que acompanhamos (sim, com a Ondina Maria) a refeição foi um excelente Godiva 2007 Lavradores de Feitoria.

domingo, 27 de novembro de 2011

A carruagem da Cinderella...


... é um chutney de agricultura biológica!
Tudo começou com uma brincadeira. O ZeL tinha abóboras no seu mega-quintal e eu, há que Del-Rei, passava a vida a dizer-lhe que queria duas. E foi neste tu-cá-tu-lá que os dias se foram passando. Até que numa bela manhã entra o ZeL pelo meu gabinete dentro com duas abóboras giganórmicas em cima de um carrinho. Foi a risota total. As abóboras mal cabiam dentro do meu Poly Pocket!
Uma foi oferecida a uma colega que ficou igualmente encantada e a outra viajou comigo até casa para acabar congelada, em puré e em chutney. 



Chutney de abóbora
(adaptado de "Conservas", Civilização)

1kg de abóbora
350g de maçãs para cozinhar
250g de cebola
125g de sultanas
300g de açúcar amarelo claro e fino
1 colher-chá de sal
1 colher-chá de canela
1 colher-chá de coentros
1 malagueta
600ml de vinagre de cidra

Cortar a abóbora e as maçãs em pedaços e as cebolas em rodelas finas. Colocar todos os ingredientes numa panela de fundo reforçado e deixar levantar fervura lentamente, mexendo até dissolver o açúcar.




Deixar ferver em lume brando durante 2h até a colher ficar marcada no fundo da panela. No final da cozedura, mexer frequentemente para não queimar. O chutney deve ter um aspecto espesso e brilhante. Verificar os temperos, juntar mais sal se necessário e colocar em frascos esterilizados e aquecidos, sem bolhas de ar. 


Guardar em local fresco e escuro. Esperar até um mês para utilizar. Quanto mais "velho" for o chutney, mais saboroso será.

A malagueta utilizada na confecção deste chutney foi a primeira colhida dos vasos que plantamos no início da Primavera. Mais já foram colhidas e outras tantas estão a caminho! Caso para dizer que a nossa agricultura na varanda vai de vento em popa :)

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Gemista - Tomates recheados no forno


Caros Chefes e garfos afiados aqui estou novamente para vos apresentar um prato tradicional da minha adorada Grécia.
É um prato fácil, saudável, delicioso e prova de que uma refeição vegetariana pode ser completa. Façam o favor...Experimentem.

Chefes, à faca....

4 tomates
250g arroz vaporizado
6 batatas (médias)
1 cebola
2 folhas de louro
1/4 pimento vermelho
1/4 pimento verde
150ml Azeite
Sal
Pimenta
Salsa


Retirar cuidadosamente o topo do tomate e remova todo o seu conteúdo para uma taça. De seguida colocar os tomates junto com as batatas, cebola, louro e metade do pimento vermelho/verde numa travessa do forno (ver foto acima).


Entretanto desfazer o interior do tomate até ficar em polpa. Juntar o arroz, o restante pimento e temperar a gosto.
Misturar muito bem e com a colher colocar o conteúdo dentro dos tomates. Regar com o azeite e água (até preencher metade do conteúdo na travessa etemperar com sal, pimenta e oregãos.
Deixar no forno a 200 graus durante 60 minutos.


Este deverá ser o aspecto final do seu Gemista......Bom trabalho Chefe e bom apetite!


Não posso tambem deixar de fazer referência ao excelente vinho com que acompanhamos a nossa refeição. Oriundo da Região Demarcada do Douro, o Vinho Foral Tinto 2007, da responsabilidade da equipa de enologia liderada por Francisco Antunes, é composto pelas castas Tinta Barroca, Touriga Franca e Tinta Roriz. 

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Tarte de maçã e arandos


Num domingo de Outono que parecia Inverno, umas maçãs remexiam nervosas na fruteira, como que a acenar-me para serem escolhidas para o evento daquela tarde. De Golden não tinham nada, ainda com a casca esverdeada e pouco sarapintada. Abri um armário. Os arandos saltaram para a fila da frente como que a dizer: "já viste que bem ficava a nossa cor com aquelas lindas e perfumadas maçãs?". Se alguém conseguir resistir a uns arandos com olhos de cachorrinho abandonado, então é porque não tem coração. E o meu coração XXL lá bateu forte, forte e os arandos encontraram o caminho até as maçãs!


Tarte de maçã e arandos

1 base de massa folhada fresca
4 maçãs Golden
1 limão (sumo)
canela q.b.
açúcar mascavado q.b.
1 punhado de arandos secos

Retirar a massa folhada do frigorífico 15 mins antes de a utilizar. Cortar as maçãs em tiras pequenas e finas e colocar numa taça embebidas com o sumo do limão, a canela e o açúcar. Adicionar os arandos misturando muito bem. Deixar repousar enquanto se estende a massa, juntamente com o papel, num tabuleiro e se pica a sua superfície com um garfo. Espalhar as maçãs e os arandos por cima da massa e levar ao forno previamente aquecido a 180º C durante 40 mins.


quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Filetes de Pescada com tostas de camarão


Ave a todos aqueles que incessantemente e incansavelmente me aborreceram até me levar às lágrimas para disponiblizar online os meus conhecimentos gastronómicos......cofcof (acho que já chega de alimentar o meu Ego).
O meu primeiro contributo no blog que partilho com a minha "parceira de crime" (A.K.A. Ondina Maria) é saudável, simples e dada a situação económica em que todos nos encontramos (penúria) barato.


Chefes, à faca....

250g rúcula
2 colheres de sopa de mostarda de Dijon
Azeite q.b.
1 abacate
1/4 de pimento vermelho
1 cenoura
1 tomate
2 filetes de pescada
8 camarões
Sementes de sésamo
Manteiga
Sal
Pimenta
Manjericão
Limão
Cortar o abacate, a cenoura, o pimento e o tomate em bocados e colocar num tacho de pequena dimensão com azeite, um pouco de água e temperar. Deixar ferver até os legumes partirem facilmente e de seguida, com uma varinha ou blender, fazer o puré. Provar e ajustar a consistência a gosto.
Temperar a pescada com sal e mangericão para de seguida colocar numa frigideira, em lume brando cerca de 5 minutos de cada lado, tendo em atenção para deitar sempre o exterior do filete virado para baixo em primeiro lugar para que o peixe tenha a consistência necessária e não se desfazer.
Descascar e limpar a tripa do camarão (a linha preta que se vê ao longo das "costas" do camarão) e colocar numa frigideira com um pouco de manteiga e as sementes de sésamo.
Finalmente empratar colocando o puré em cima da ciabatta (pode ser utilizado outro tipo de pão ou tosta da preferência de cada um) com os camarões por cima, a rúcula é temperada com uma espécie de vinagrete (moustarda de Dijon, azeite e sal) e a pescada regada com o sumo de um limão ou lima......Bom trabalho Chefe e bom apetite!


terça-feira, 22 de novembro de 2011

Iogurtes de PB&Choc


Por vezes é mesmo assim: quando gostamos de alguma coisa queremos transpô-la ao máximo para todas as áreas da nossa vida. Quer seja uma viagem que nos marcou, uma peça de roupa preferida que insistimos em utilizar apesar de já estar num estado deplorável, um sabor muito apreciado e que tentamos aplicar em várias receitas. Adoro a combinação perfeita da manteiga de amendoim com chocolate, especialmente se for negro, e vai daí toca a espalhá-la aos quatros ventos, numa tentativa de evangelização dos paladares.

Iogurtes de manteiga de amendoim e chocolate de leite

200g de chocolate de leite belga (utilizei marca Pingo Doce)
2 colheradas generosas de manteiga de amendoim cremosa (utilizei Pindakaas)
800ml de leite magro
20g de leite em pó
1 iogurte natural (utilizei o Simplesmente Natural do Pingo Doce)

Derreter, no microondas, o chocolate com a manteiga de amendoim. Juntar-lhe o leite e o leite em pó. Por fim misturar o iogurte natural com a varinha mágica. Distribuir a mistura pelos copos e levar à iogurteira por pelo menos 10h (os meus ficaram overnight).


Estes iogurtes ficam com uma consistência bastante espessa e excelente. A combinação entre a manteiga de amendoim e o chocolate resulta muito bem com a acidez própria do iogurte. Utilizei chocolate de leite pois não queria adicionar açúcar aos iogurtes e se tivesse utilizado chocolate negro teriam saído amargos, pelo que quando se escolher opção adicionar sempre açúcar. Para uma consistência mais suave deve utilizar-se metade das quantidades de chocolate e manteiga de amendoim.
Quem provou disse que foram os melhores iogurtes que fiz até agora! :)


segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Uma ementa para a Maria

O meu post de hoje não tem fotos mas tem uma coisa melhor: ideias para ajudar a Maria.
Assim sendo, resolvi reunir uma série de receitas simples e fáceis, respeitando os ingredientes e os utensílios a que a Maria tem acesso. Porque não consegui escolher apenas uma e achei que o mais justo (e simpático da minha parte) era partilhar com a ela tudo aquilo que me ocorreu, deixando-lhe uma ementa para poder variar e até para inventar a partir destas ideias.


Pequeno-almoço que pode ser almoço

2 chávenas de farinha
2 colher-chá de fermento em pó
1/3 chávena de açúcar
2 ovos à temperatura ambiente
1 1/2 chávena de leite à temperatura ambiente
4 colher-sopa de óleo

Numa tigela misturar a farinha, o fermento e o açúcar. Noutra tigela bater os ovos com o leite e óleo. Deitar esta mistura para dentro da tigela da farinha e bater bem até ter uma massa uniforme.
Numa frigideira, colocar colheres de massa para fazer as panquecas: 2 minutos de cada lado e estão prontas.
Se não tiver tigelas pode usar tacho e panela para a massa.
Se as chávenas forem muito pequenas, juntar apenas 1 ovo e 2 colher-sopa de óleo.
Para incrementar as panquecas pode juntar-se à massa maçã+canela, maçã+banana, maçã+banana+canela, banana+canela ou banana+côco. Quando for dia de festa e houver chocolate, derreter chocolate com leite ou com natas e acompanhar as panquecas doces com rodelas de banana e regadas com o chocolate (ver aqui).
Para panquecas salgadas, para acompanhar comida, eliminar o açúcar e colocar pimenta, oregãos, salsa. Pode ainda adicionar-se pimentos ou cenoura em cubinhos. Ou ambos. Pode trocar-se o óleo por azeite.


Uma sopa quentinha por favor (ou várias)

Abóbora
Tomate
Cenoura
Pimento vermelho
Cebola
Alho

Refogar a cebola e o alho com azeite, adicionar a cenoura e o pimento e deixar amolecer. Juntar o tomate e a abóbora em pedaços, água qb, sal, pimenta, oregãos e salsa e deixar cozinhar até os legumes estarem tenros. Desfazer os legumes com um garfo. Não fica muito homogénea mas até é engraçado encontrar alguns pedaços.
Para uma sopa mais consistente, juntar batata com a abóbora ou então arroz. Pode também eliminar-se algum dos legumes apresentados.


Salada para todo o ano

Galinha cozida (podem ser sobras)
Arroz cozido (também podem ser sobras)
Alface
Tomate
Cenoura em cubinhos
Pimentos em cubinhos
Pepino em rodelas
Pimenta, oregãos e salsa
Azeite

Desfiar a galinha. Juntar todos os ingredientes num tacho ou panela, regar com o azeite e mexer bem.
Esta salada pode levar ovos mexidos em vez da galinha, ou salsichas. Também pode levar atum e aí em vez do arroz cozido também se pode colocar batata cozida em cubinhos.


Tortilha com o que houver à mão

Ovos
Cebola em cubinhos
Cenoura em cubinhos
Pimentos em cubinhos
Pimenta, sal, oregãos e salsa
Batata cozida em cubos (opcional)

Bater os ovos e adicionar os restantes ingredientes. Colocar a mistura na frigideira anti-aderente. Quando o lado de cima estiver quase cozinhado, colocar um prato por cima da frigideira e voltar ao contrário. Deixar a tortilha escorregar do prato para dentro da frigideira e terminar de cozinhar.
Nesta tortilha podem colocar-se restos de galinha cozida, atum ou salsichas. Pode ainda levar esparguete cozido em vez da batata.





Arroz para inventar ou massa para variar

Cebola
Alho
Azeite
Pimentos em cubinhos
Cenoura em cubinhos
Galinha em pedaços
Arroz
Abóbora (opcional)
Pimenta, sal, oregãos, salsa

Refogar a cebola e o alho no azeite. Juntar os pimentos, a cenoura e a galinha e deixar amolecer. Deitar 1 medida de arroz e 2 medidas de água se for arroz seco, ou 3 medidas de água se for arroz húmido. Adicionar os temperos e deixar cozer o arroz. Pode juntar-se abóbora com a galinha. Em vez de galinha também se pode usar salsichas.
Pode substituir-se o arroz por esparguete e juntar batata em cubinhos. Colocar água suficiente para cozer a massa. Se ficar um molho muito liquido, no final da cozedura pode juntar-se uma colher-chá de farinha para engrossar o molho ou simplesmente esmagar os cubos de batata e cenoura.


Sobremesa light ou heavy

Mistura de frutas em cubinhos
Limão
Açúcar a gosto (opcional)

Cortar as frutas e juntar num prato, taça ou tacho. Regar com sumo de limão. Juntar açúcar. 
Pode acompanhar-se com panquecas doces. 
Se houver natas, pode tentar bater-se (com um garfo) as mesmas com açúcar para ficarem um pouco mais espessas e cobrirem a fruta.
Se houver chocolate pode derreter-se o mesmo com leite ou natas e fazer um fondue de chocolate com as frutas disponíveis.

sábado, 19 de novembro de 2011

Medalhões de pescada com legumes estufados à indiana e puré


Comida reconfortante. Para enfrentar o frio, para enfrentar as maleitas, para perfumar a casa e deixar os espíritos bem dispostos. Comida assim é para todos os dias.


Medalhões de pescada com legumes estufados à indiana e puré

4 medalhões de pescada congelada
8 delícias do mar
1 alho-francês
1/4 de pimento vermelho
1 cenoura
azeite
sal
2 colher-sobremesa de pasta tandoori
4 tomates pequenos
Polpa de tomate qb
1/2 copo de vinho branco
1/2 limão
400g ervilhas (lata pequena)
500g de puré congelado
leite qb
50g de manteiga

Fatiar o alho-francês, cortar o pimento em cubinhos,a cenoura em quartos de rodela e alourá-los com o azeite num tacho grande. Juntar a pasta tandoori e os tomates em pedaços e misturar. Adicionar polpa de tomate a gosto e o vinho branco. Por cima, colocar os medalhões de pescada e as delícias e regar com o sumo do limão. A meio da cozedura do peixe adicionar as ervilhas e continuar a estufar.
Entretanto, colocar os tubinhos de puré congelado num tacho com 100ml de leite quente. À medida que o puré for derretendo, adicionar leite a gosto até o puré ter a consistência desejada. Envolver a manteiga e servir.
Este prato fica algo picante devido à pasta tandoori mas muito aromático também. Um toque quente da Índia, para alegrar os jantares de Inverno!


quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Uma tarde de Outono e um bolo de cenoura e especiarias


O Outono tem destas coisas, ou melhor, destes apetites. Quero comer de tudo e provar de tudo e o pecado da gula existe em todo lado e sinto-me tentada em cada piscar de olhos! Queria um bolo de cenoura. E queria que tivesse chocolate. Nada de muito complicado. Comecei por folhear algumas revistas e livros e os bolos de cenoura iam e vinham mas sem captar o meu olhar. Até que, num livro que já foi da minha mãe e agora é meu, encontrei aquilo que procurava.


Bolo de cenoura - Especialidade suíça
(adaptado de "Cozinhar Melhor - Bolos", da Civilização)

300g de cenoura
5 ovos
200g de açúcar
300g de miolo de amêndoa ralado
1 colher-sopa de canela em pó
1 pitada de cravinho
1 pitada de noz-moscada
1 cálice de Vinho do Porto (rum no original)
150g de pepitas de chocolate negro (não constava do original)

Ralar finamente as cenoura peladas. Separar as gemas das claras batendo as últimas em castelo e reservar. Bater as gemas com o açúcar com um fouet até ficarem espumosas. Misturar a cenoura, a amêndoa, as especiarias, as pepitas e o Vinho do Porto. Envolver as claras nesta mistura. Entretanto, aquecer o forno a 200º C. Deitar a massa numa forma de mola redonda untada e com papel vegetal no fundo. Esperar 50 mins e fazer o teste do palito para verificar a cozedura.


Na receita original o bolo é barrado com um glacé e decorado com cenourinhas de maçapão, but that's not my style, I like to keep it simple :)
Este bolo é húmido, macio e muito aromático, perfeito para acompanhar um belo chá Rooibos orgânico, lindo, que com os seus tons laranja-avermelhados aquece a alma numa qualquer tarde fria de Outono...


segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Bolo de iogurte grego e sementes de papoila


É daquelas coisas que há sempre no frigorífico. Para doces ou salgados, ou simplesmente para saborear colher a colher, o iogurte grego é divinal. A sua textura cremosa, o seu sabor algo acre, as lembranças que me traz à memória de tempos bem passados, dias felizes com pessoas especiais, paisagens onde os olhos se deleitam com uma beleza imensa que surge em cada recanto, em cada caminho, em cada cidadela por onde passamos sob o sol de um Setembro qualquer. Muito mais do que um simples iogurte, é assim uma mistura de sabores, sensações, pessoas e locais. Cada colher traz algo de novo mas conhecido, reconfortante, uma certeza de que tudo está bem. E porque não estender tudo isto para outras paragens?


Bolo de iogurte grego e sementes de papoila

5 ovos
1 Iogurte grego natural
4 medidas de açúcar
4 medidas de farinha com fermento
1 colher-sobremesa de fermento em pó
1 medida de óleo
3 colher-sobremesa de sementes de papoila

Separar as gemas das claras, bater as claras em castelo e reservar. Com um fouet, bater o açúcar com as gemas até ficar um creme esbranquiçado. Em seguida juntar o iogurte, o óleo, a farinha, as sementes de papoila e misturar muito bem. Envolver as claras em castelo. Verter a massa numa forma untada e polvilhada e levar ao forno pré-aquecido a 180ºC durante cerca de 40 minutos. 
As sementes conferem uma textura crocante e deliciosa, a lembrar os dias de calor em terras distantes...


sábado, 12 de novembro de 2011

Pink is not dead* - Iogurtes de groselha


O xarope de groselha traz-me boas memórias dos tempos de miúda passados em casa da minha avó. Ao lanche, no Verão, havia sempre refresco de groselha e no Inverno o leite morno era adoçado também com este xarope. No outro dia, enquanto passeava pelos corredores do supermercado, resolvi reviver as memórias, de uma forma actual e foi assim que nasceram estes iogurtes de groselha.


Iogurtes de Groselha
300ml de xarope de groselha (ou a gosto)
1 iogurte natural
50gr de leite em pó
700ml de leite meio-gordo

Juntar todos os ingredientes no liquidificador e bater bem. Distribuir pelo copos e levar à iogurteira durante pelo menos 6h (estes ficaram overnight).


*Pink is not dead é uma frase utilizada pela Mlle Kuroi Riyu :)