terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Fool(e) de limão, iogurte grego e nozes


Não é bem uma sobremesa mas sim uma sugestão. Versátil, pois podemos utilizar as combinações que quisermos. Um Fool de fruta (ou foole) tradicional consiste em misturar puré de fruta com chantilly, açúcar e um aromatizante. Neste caso pode considerar-se que a sugestão que trago fica entre o Fool e o Triffle.
Simples, rápida e prática de confeccionar e muito, muito saborosa.

O Fool(e) da Ondina, com mel

Fool(e) de limão, iogurte grego e nozes

Coalhada de limão
2 iogurtes gregos naturais
Nozes partidas
Mel a gosto

Nas taças colocar uma camada de coalhada de limão. Cobrir com 1 iogurte batido por taça e polvilhar com as nozes. Adicionar mel a gosto e reservar no frigorífico até à hora de servir.

O Fool(e) do VelSatis, sem mel

Mais simples impossível :)


segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Pescada em cebolada de framboesa


Uma cebolada com pescada é adorável, no entanto, pouco vulgar. A cebolada é servida "normalmente" com carne e mais vulgarmente com fígado, mas eu e a maioria dos mortaís que detestamos fígado mas adoramos uma cebolada ficamos de "sentidos a abanar". Porque não alterar um pouco as regras? A cebolada não precisa de ser servida com carne. São várias as ocasiões em que nos deparamos com algo que não deveríamos fazer na culinária mas nós estamos aqui para desafiar e tentar o diferente. Resulta pois!


Chefes, à faca....

1 chávena de arroz vaporizado
150g de tomate-cherry
200g de ameijoas
3 cebolas
1/3 de pimento vermelho
3 colher-sopa de polpa de tomate
2 filetes de pescada
Vinagre de framboesa
Sal
Pimenta
1 colher-sopa de manteiga


Numa panela, colocar meia cebola picada a aloirar em azeite. De seguida, adicionar o pimento picado e as ameijoas. Juntar um caldo de legumes com o arroz, os tomates-cherry cortados em quartos e respectiva água. Com o arroz quase pronto juntar a polpa de tomate.
Numa frigideira com um pouco de azeite grelhar os filetes já temperados (5 minutos de cada lado) e reservar no forno. Com a mesma frigideira preparar a cebolada colocando primeiro a manteiga e quando esta estiver derretida juntar a restante cebola cortada em rodelas. Deixar caramelizar (deverá ter uma cor brilhante e dourada) e adicionar o vinagre de framboesa. Rever os temperos. Juntar de novo os filetes de pescada na frigideira para aquecer. 
Bom trabalho Chefe e bom apetite!



 O vinho servido foi um excelente Fontanário de Pegões


domingo, 29 de janeiro de 2012

Bolo de chocolate e batata doce


Dos desejos de utilizar as batatas doces. Prová-las em inúmeras receitas por serem tão versáteis e tão saborosas: tartes, bolos, chips, assados, purés, sopas, enfim, é deixarmo-nos levar pela imaginação numa viagem de sabores. E batata. Doce.


Bolo de chocolate e batata doce
(adaptado de 200 receitas - Bolos e bolachas, de Sara Lewis)

200g de farinha com fermento
50g de cacau em pó
1 colher-chá de bicarbonato de sódio
175g de manteiga
175g de açúcar mascavado claro
3 ovos batidos
400g de batata doce, cozida, escorrida e feita em puré
3 colher-sopa de leite
2 colher-chá gengibre em pó (no original - 40g de gengibre cristalizado, em pedaços)
Cobertura (não utilizei)
150g de chocolate negro
2 colher-sopa de açúcar mascavado claro
200ml de crème fraîche

Misturar a farinha, o cacau e o bicarbonato numa tigela. Numa taça, bater a manteiga com o açúcar até ficarem em creme. Aos poucos, juntar colheradas alternadas de ovo batido e da mistura da farinha, mexendo bem até a massa ficar macia. Incorporar a batata doce e o gengibre, batendo sempre. Deitar numa forma redonda untada e forrada com papel e alisar a superfície. Levar ao forno pré-aquecido a 160º C durante 45-50mins (teste do palito). Deixar arrefecer durante 15 mins e desenformar para uma grelha.
Para a cobertura (opcional), levar o chocolate e o açúcar a derreter em banho-maria. Retirar do lume e juntar o crème fraîche, batendo com um fouet até ficar macio e brilhante. Levar ao frigorífico entre 10-30 mins, se necessário, até ficar suficientemente espesso para espalhar. Espalhar pela superfície e lados do bolo dando-lhe uma textura ondulada com a ajuda de uma faca.


Este bolo tem textura fofa, macia e muito, muito fresca. Se optarem por não colocar a cobertura, talvez seja melhor colocar mais açúcar pois assim é um bolo pouco doce :)


quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Frango manteiga


Quem me conhece sabe que um dos meus ídolos da cozinha é o Chef Marco Pierre White, logo devoro toda a informação que encontro sobre ele com grande atenção. Acreditem quando digo que sobre restauração e cozinha poucos existem como ele, um excelente chefe e professor na área. Hoje vi mais um video em que ele me deu mais uma grande lição: a receita existe, as quantidades cabe-nos a nós decidir, temos todos um paladar diferente logo gostamos mais picante, mais amargo, mais doce, mais quente yadayada. Juntar a isto o factor quantidades, qualidade do produto, etc..., exemplo: o meu "bife" pode precisar de 5 minutos para ficar médio, o teu pode ser mais espesso e precisar de 7 minutos, logo a receita é uma estimativa, o factor exacto é o nosso palato. Hellas!


Chefes, à faca....

2 peitos de frango
2 tomates
1 colher de sopa de manteiga
250g ervilhas
140g cogumelos frescos
1 courgette
1/4 pimento vermelho
1 alho francês
Sal
Pimenta
Gengibre
Manjericão
Tomilho


1 - Cortar os vários legumes em pequenos pedaços. Refogar com o alho-francês em azeite numa frigideira de grandes dimensões juntando de seguida o pimento, os cogumelos e a courgette. Temperar a gosto.
2 - Numa frigideira colocar os peitos de frango já temperados com apenas sal e pimenta e deixar grelhar, juntar de seguida os tomates fatiados e deixar durante 5 minutos. Juntar a manteiga ao frango e deixar durante mais 3 minutos.
3 - Numa panela cozer as ervilhas com um pouco de água e azeite e temperar a gosto. Depois de cozidas fazer o puré com a varinha mágica.
Bom trabalho Chefe e bom apetite!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Uma pizza e um desafio


Os domingos são dias que se estendem no tempo. E seriam perfeitos se se estendessem tanto até ao ponto de atropelarem os dias da semana. Enquanto isso não acontece, o porquê não percebo(!!!), vou relembrando o domingo que passou até que outro chegue para o substituir. E este domingo, durante o nosso calcorreio pela cidade, visitamos o Convento Corpus Christi, remodelado e que abriu recentemente ao público. Aconselhamos vivamente que passem por lá, é muito, muito bonito (não são permitidas fotografias).
De regresso a casa, e com a preguiça por companhia, o jantar foi simples, como a vida :)


Pizza de courgette e salsichas com batatas assadas

1 base de pizza caseira
Molho de tomate
Folhas de manjericão
Salsichas laminada
Courgette laminada
Queijo Emmental ralado

Batatas
Batatas doces
Pimentão doce
Sal grosso
Tomilho
Azeite

Numa assadeira colocar as batatas e as batatas doces em cubos, salpicar com sal, pimentão doce e tomilho e regar com azeite. Levar ao forno para assar.
Entretanto preparar a pizza: estender a massa no tabuleiro e picar com um garfo. Cobrir a base com o molho de tomate. Espalhar as folhas de manjericão, cobrir com as fatias de courgette e salsicha. Polvilhar com o queijo e levar ao forno.


Esta partilha de hoje é como que uma resposta à receita anterior, partilhada pelo VelSatis. O C&R está em modo fast food (mas caseira e saudável!)


Entretanto, a Vera Ferraz deixou-nos um desafio, ao qual vou responder com muito agrado:
Música preferida: hm, boa questão. São tantas (e o meu gosto é tão eclético, desde a música clássica barroca até música gótica) mas uma das que me acompanha faz alguns anos é Pachelbel's Canon
Sobremesa preferida: a sério que esta pergunta existe? É como perguntar a uma criança se gosta mais da mãe ou do pai! Bem, sobremesas cremosas com fruta, crumbles, bolos simples de fruta ou frutos secos
O que me tira do sério: tanta coisa! Mas as punhaladas nas costas e a falsidade talvez estejam em 1º lugar
Quando estou chateada: todos percebem :-s
Animal doméstico preferido: quando deixar de viver num apartamento onde apenas estou ao fim do dia, penso neste assunto com carinho
Preto ou branco: preto, always and forever :)
Maior medo: chegar a velhinha e não ter quem tome conta de mim, vagueando senil entre contentores do lixo com cães a uivar atrás de mim (podia ser pior, acreditem!)
Atitude quotidiana: corre sempre tudo bem :)
O que é perfeito: a natureza
Culpa: nunca mea, sempre dos outros :p
Sete factos aleatórios sobre mim: control freak, apaixonada por fotografia e viagens, tenho o nariz sempre frio, gosto de comida com sangue (é a minha veia vampiresca), tenho a mania das limpezas, adoro fazer desporto ou andar a pé, sou tão persistente que acabo por ser teimosa
Para finalizar, os blogues que queria desafiar já o foram por outros :p

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Hamburguer Royal


Antes demais obrigado por todos os comentários e respostas positivas ao nosso trabalho, tem sido um prazer cozinhar como sempre mas com o prémio extra de ler as vossas palavras. 
Hoje trago aqui um hamburguer que penso como "limpo" pois tenho sempre em mente aqueles gordurosos que vemos num qualquer shopping. Este, no entanto, é completamente caseiro desde os ingredientes, todos eles frescos, até ao pão (de tomate e manjericão) feito pela própria Ondina.


2 ovos
2 fatias de fiambre fumado
3 fatias de queijo Gouda
Rúcula
150g de cogumelos
3 tomates
1 cenoura
1 alho-francês
2 batatas
50g salpicão
1 queijo Camembert
Sal
Pimenta
Azeite
Tomilho
Salsa
Pimentão doce
1/2 copo de água


Cortar os legumes em pedaços tendo especial atenção para cortar as batatas em tiras muito pequenas para facilitar a cozedura. Numa frigideira de grandes dimensões fazer um refogado com o alho-francês, colocando de seguida as tiras de batata, os legumes e o salpicão. Juntar água e temperar a gosto com as especiarias e ervas aromáticas.
Cortar em círculos 2 fatias de pão e colocar 1 círculo no fundo seguido pela pasta de legumes, rúcula e repetir novamente. No topo acabar com um ovo escalfado com queijo Gouda e fiambre utilizando "Ovo espacial em estação de legumes e bacon". Acompanhe com queijo Camembert.
Bom trabalho chefe e bom apetite!


Receita por VelSatiS

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Arroz de bacalhau com ameijoas e coentros


Cozinhar todos os dias pode tornar-se cansativo e monótono. Com a lufa-lufa do dia-a-dia nem sempre temos tempo para pensar (quanto mais pesquisar!) numa forma diferente de cozinhar estes ou aqueles ingredientes. E por vezes até temos boas ideias, mas levá-las a cabo implica uma visita ao supermercado num dia em que não temos tempo nem para respirar. É bom poder ter sempre uma variedade de ingredientes em casa. E é bom tentar planear algumas das refeições ao fim de semana para que durante a semana a logística seja mais fácil de gerir. Mas também é bom deixar que as ideias tomem conta de nós, ir ao sabor do inesperado, do desejo de saborear isto ou aquilo, de um prato que vimos num restaurante mas que nunca chegamos a provar...


Arroz de bacalhau com ameijoas e coentros

2 lombos de bacalhau
300g de ameijoas congeladas (na falta de frescas!)
1 chávena almoçadeira de arroz
1 cebola
2 dentes de alho
2 folhas de louro
Azeite
Coentros finamente picados

Cozer o bacalhau com o louro em lume médio até estar quase pronto (deve ficar macio e manter a "gelatina"). Reservar a água da sua cozedura. Num tacho, refogar a cebola e o alho, finamente picados, no azeite. Entretanto lascar o bacalhau e cozer parcialmente as ameijoas na água do bacalhau, reservando a água. Adicionar, ao refogado, 3 chávenas almoçadeiras da água da cozedura (com o louro), deixar levantar fervura e juntar o arroz. Após 10 mins adicione o bacalhau e as ameijoas. Mexa bem, adicione os coentros e rectifique os temperos.


A ideia para este arroz surgiu após o ter visto na carta do restaurante "Moinho de Vento"!


domingo, 22 de janeiro de 2012

Coelho em vinho tinto com penne


Aqui está uma carne que nunca tinha preparado mas cuja preparação me foi sugerida pela Ondina: um desafio, o que na culinária é sempre um must e eu adoro, em virtude da mudança e novas experiências. Não nos devemos ficar nunca pelos livros culinários ou receitas que vemos algures! Aplicar os nossos conhecimentos em algo novo é sempre uma "confirmação" dos nossos dotes :)


Chefes, à faca....

300g coelho
300g penne
1/2 cebola
4 cebolinhas
250g ervilhas
1 cenoura
3 tomates
1/4 pimento vermelho
3 colheres de sopa de polpa de tomate
Tomilho
Manjericão
Sal
Pimenta


Numa frigideira de grandes dimensões fazer um refogado com a meia cebola picada e as cebolinhas cortadas em 1/4. De seguida, adicionar o coelho em pedaços e grelhar. Adicionar meio copo de vinho tinto e deixar reduzir, juntar as ervilhas, o pimento picado e a cenoura, temperar e mexer bem. Por fim, adicionar os tomates picados e a polpa de tomate e rever os temperos.
À parte, cozer a massa em água com 1 fio de azeite.
Bom trabalho chefe e bom apetite!



quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Coalhada de limão (lemon curd)


A vida é feita de muitos sabores. Bons. Maus. Assim, assim. Aqueles que nos levam aos píncaros. Aqueles que só de pensar nos dão agonia. Aqueles que nos levam para paragens distantes, através de viagens mentais, revisitando lugares e pessoas. Aqueles que são uma descoberta de cada vez que os provamos. Sabores de memória e sabores esquecidos. Sabores que sabemos de cor. Sabores que vamos sabendo porque a isso somos obrigados. Sabores que sabem e sabores deslavados. Sabores que sabem ao tempo que faz lá fora. Sabores. Daqui, dali, meus, teus, nossos, seja lá de quem for.


Coalhada de limão
(Velocidade Colher de Susana Gomes)

2 ovos
3 gemas
140g de açúcar amarelo
60g de manteiga mole
2 colher-sopa de leite
Raspa de 1 limão
100g de sumo de limão (cerca de 2 limões médios)

Misturar muito bem os ovos, as gemas, o açúcar, o leite e a manteiga. Adicionar a raspa e o sumo de limão e deixar cozinhar em lume médio, mexendo constantemente, até engrossar. Colocar em frascos esterilizados, deixar arrefecer e colocar no frigorífico até utilizar.


A coalhada de limão (ou de outros frutos) é bastante versátil e pode ser utilizada para sobremesas, iogurtes, recheio de bolos, tortas, etc.
Para mim é um sabor a sol e a dias de verão, fresco mas ácido, um arrepio em cada colherada. E quando chove lá fora não há nada melhor do que abrir um frasquinho de sol e sentir o aroma dos limões a dourar o pomar...



quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Iogurtes de chocolate negro e côco ou uma ode ao Bounty


Se eu disser que são os melhores iogurtes que já fiz, prometem que não se riem de mim? Bem sei que em quase todas as receitas de iogurte que fui aqui deixando, digo sempre que são os melhores dos melhores, por isto, por aquilo, por tudo e por nada. Mas estes bateram todos os outros. Assim, do nada, vindos de uma vontade de querer comer Bounty e não ter, vindos dos confins das sinapses, depois de folhear muitas receitas entre livros e blogues, vindos do que havia nos armários para utilizar. Estes são, até agora, os melhores. A suavidade, a combinação do côco com o chocolate e o ácido natural do iogurte, tudo é perfeito. Até o trifle que espontaneamente se formou faz as delícias dos olhos. Provem-nos. Vão ver que digo a verdade :)


Iogurtes de chocolate negro e côco

Leite (magro)
50g de côco ralado
100g de chocolate negro belga (Pingo Doce)
20g de leite em pó
1 iogurte natural

Ferver 300ml de leite com o côco durante alguns minutos. Retirar do lume, adicionar o chocolate e deixar derreter. Juntar mais 300ml de leite, o leite em pó e mexer bem. Adicionar o iogurte, perfazer o volume de líquido total para os iogurtes (850ml neste caso) e misturar com a varinha mágica. Distribuir pelos copos e levar à iogurteira pelo menos 6h (os meus ficam sempre 12h - overnight). Retirar e colocar no frigorífico. Depois é só saborear!



terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Pasta da Ondina


É dia de peixe cá em casa e encontrei o salmão no frigorífico - mãos à obra! Este foi o primeiro prato que confeccionei para a nossa Ondina querida, que o adorou... pelo menos ainda aqui estou, isso deve querer dizer algo! Este prato tem uma característica para mim genial: o salmão pode ser opcional pois a pasta de batata e delicias do mar serve perfeitamente como prato por si só.


Chefes, à faca....

500g de batata
1/2 emb. de delicias do mar
1/4 de pimento vermelho
1 alho-francês
150g de rúcula
2 tomates
2 lombos de salmão
Sal
Pimenta
Tomilho
Manjericão


Descascar, partir em pedaços e colocar as batatas a cozer. Depois, usando o mesmo tacho refogar o alho-francês, em rodelas, com azeite. De seguida, juntar as batatas e regar abundantemente com azeite, mexer bem e partir as batatas com um garfo o suficiente para que o absorvam. Adicionar as delicias do mar, o pimento picado e deixar cozer com meio copo de água. Quando a consistência for "pastosa" adicionar o tomate e a rúcula, mexer bem e deixar em lume brando. Temperar a gosto.
Colocar o salmão na frigideira durante cerca de 6 minutos em cada lado, temperar a gosto e terminar com uma pequena colher de manteiga. A Ondina gosta de juntar sumo de lima ao seu salmão.
Bom trabalho chefe e bom apetite!