quarta-feira, 29 de Fevereiro de 2012

Pescada com molho de laranja e um aniversário


Ainda vimos a tempo da festa! Fevereiro é o mês do aniversário do Cinco Quartos de Laranja e estamos agradecidos por este ser um ano bissexto. É que com tanta indecisão esta receita quase que não saía... Foi difícil decidir se era doce ou salgado e uma saga para escolher o que fazer na categoria dos salgados. E por fim, já quase perdidas as esperanças, eis que surgiu esta pescada com molho de laranja. 
Ao Cinco Quartos desejamos vida longa, com boas e saudáveis receitas e sempre com a mesma paixão com que tem vindo a partilhar alguns dos pequenos grandes prazeres da vida!


Pescada com molho de laranja

4 lombos de pescada
8 delícias do mar
Sal, louro e 8 bagos de cardamomo
500g de fusili
5 c.sopa bem cheias de farinha
60g manteiga
3 laranjas (sumo)

Cozer a pescada com sal, louro e cardamomo. Nos minutos finais, escaldar as delicias do mar (caso estejam congeladas). Reservar.
Num tacho, derreter a manteiga e adicionar a farinha, mexendo até estar incorporada. Adicionar uma parte do sumo de laranja e mexer. Repetir este processo até acabar o sumo e continuar a fazer o molho adicionando água de cozedura da pescada até obter a consistência desejada.
Entretanto, cozer a massa em água abundante com água e sal.
Desfazer a pescada em pedacinhos e cortar as delícias em cubos para incorporar no molho. Cobrir a massa com esta mistura e servir com um pouco de rúcula e pedacinhos de delícia do mar.


Este prato foi uma verdadeira surpresa. O molho aveludado de laranja confere à pescada um sabor fresco e perfumado. 



English:

We've still arrive in time for the party! In February Five Quarters of Orange celebrates it's birthday and we're truly happy because this is a leap year. With so much indecision, this recipe nearly didn't happen. It was difficult to decide what to cook: meal or dessert? And then, what kind of meal? But luckily, in the end we've managed this hake with orange creamy sauce. We wish a happy birthday to Five Quarters of Orange, with great and healthy recipes and always with the same passion when sharing these life's little great pleasures!


terça-feira, 28 de Fevereiro de 2012

Risotto de "camarão" com filete de pescada

À terça-feira é dia de peixe. E perguntam vocês: porquê? É simples! Para facilitar a nossa própria vida, estabelecemos uma espécie de horário para as refeições: três dias por semana o jantar é vegetariano (ou pelo menos não inclui nem carne nem peixe), dois dias por semana o jantar é peixe e nos restantes dois é carne (um para carne branca e outro para vermelha). Dependendo do dia da semana, já temos o fio condutor da nossa refeição, o que é sempre uma grande ajuda. Optamos também por um número razoável de refeições veggie pois, para além de ser bastante saudável, contribui grandemente para equilíbrio do orçamento. Uma outra forma de conseguir controlar os efeitos da crise é, em alguns pratos, substituir ingredientes dispendiosos por outros mais em conta. Exemplo disso é este risotto: poderia ter sido feito com camarão e ficaria delicioso mas podemos confirmar que com delícias do mar (que hoje em dia já são utilizadas pelos Chefs) também não ficou nada mal :)


Chefes, à faca....

300g risotto arborio
1 alho francês
100g delicias do mar
1 colher de sopa de polpa de tomate
1 caldo de camarão
100ml vinho branco
Azeite 
Sal 
Pimenta
1 ramo de rosmaninho
50g manteiga
100g parmesão
2 filetes de pescada
menta fresca q.b.
Azeite
Sumo de 1 lima


Numa frigideira de grandes dimensões colocar o alho francês em rodelas a refogar em azeite. De seguida juntar o rosmaninho, o arroz e o vinho branco até este evaporar. Adicionar um pouco de água, as delicias do mar em pedaços, a polpa de tomate e o caldo. Mexer até a água evaporar em lume brando e repetir o processo até o arroz estar correctamente cozido. Rever os temperos, se necessário, e juntar a manteiga e o parmesão.
Os filetes são temperados com menta, sal, e pimenta para serem grelhados numa frigideira com um pouco de manteiga e regados por fim com o sumo da lima.
Bom trabalho Chefe e bom apetite!



Receita por VelSatiS


English:

Tuesdays is day for fish. "Why?" may you ask. It's really simple. To make things easy we have established some kind of "meals schedule": 3 days/week we have vegetarian dinner (at least there's no meat nor fish included), 2 days is fish and the other 2 days is meat (one for poultry, or white meat, and the other for red meat). Depending on the day of the week the person cooking dinner already has a guideline, which can be a great help! We've decided for a reasonable number of veggie meals because it's healthier and because it good for the budget. Another way to balance the bills is to substitute, in some meals, expensive ingredients for less expensive ones. Today's risotto is a good example of that: it was made with crab sticks (some Chef's are already starting to use it) instead of using prawns and we can guarantee is very tasty :)

"Prawn" risotto with hake fillets

300g arborio rice
1 leek
100g crab sticks
1 tbsp tomato puree
1 prawn stock (cube)
100ml white wine
Olive oil
Salt and pepper
1 rosemary stick
50g butter
100g parmesan
2 hake fillets
1 lime juice
Mint leaves

In a large saucepan braise the leek with olive oil. Add the rosemary, the rice and the white wine and mix until the liquid evaporates. Add some water, the crab sticks, the puree and the stock. Mix again until the liquid evaporates. Add more water and repeat this process until the rice is cooked. Seaso, add the butter and the cheese.
Grill the hake fillets, seasoned with mint, salt and pepper, in a bit of olive oil. Drizzle with lime juice.

segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2012

Veluté de batata doce e cenoura


Quando o frio aperta sabe mesmo bem comer uma bela taça de sopa, fumegante, que emana calor e reconforta o corpo cansado. O sabor dos legumes, muitos ou poucos, juntamente com o sabor dos temperos, ervas aromáticas ou especiarias, fazem as delícias dos sentidos agora despertos. A sopa é uma poção mágica, com ingredientes secretos que operam maravilhas no organismo com um simples piscar de olhos. São refeições 3S's: saudáveis, simples, e saborosas. Os feiticeiros dos tempos modernos cozinham sopas nos seus potes negros de 3 pernas, rodeando o fogo com o tilintar de facas afiadas e cânticos em honra da Natureza!


Chefes, à faca....

300g de batata doce
150g de cenouras
1L água
Sal 
Pimenta
Azeite
Noz-moscada
Pimentão doce


Descascar a batata doce e as cenouras, cortar e colocar num tacho com cerca de 1lt de água a cozer.  Temperar com sal, pimenta, pimentão doce a gosto e uma pitada de noz-moscada.
Depois de os ingredientes estarem bem cozidos, fazer o veluté com um blender ou uma varinha mágica. Verificar os temperos e que a consistência é a desejada: para tal adicione (ou não) mais água.
Servir com croutons e regar com um fio de azeite.
Bom trabalho chefe e bom apetite!


Receita por VelSatiS


English:

When it's cold outside nothing tastes as well as a hot, fuming, mug of soup, emanating heat and comforting the the body so tired. The taste of the veggies, many or just a few, along with the taste of the seasoning, spices or herbs, awake our senses. A soup is a magic potion, with secret ingredients operating wonders in our bodies in the blink of an eye! Modern time wizards cook soups in their 3-legged cauldrons surrounding the fire with the knife's tinkling and chants to the Goddess!

Sweet potato and carrot veluté

300g sweet potato
150g carrot
1L water
Salt, pepper, sweet chili, nutmeg
Olive oil (extra virgin)
Croutons

Peel the sweet potatoes and the carrots and boil them in the water. Season with salt, pepper, sweet chili and a pinch of nutmeg. When the veggies are cooked, blend the mix, check the seasoning and the consistency: if necessary, add more boiling water. Serve with croutons and drizzle with good extra virgin olive oil.

domingo, 26 de Fevereiro de 2012

La Ricotta

Imagem: La Ricotta

Faz quase um ano que fomos ao La Ricotta. Foi o meu presente de aniversário. E porque deixar uma crítica um ano depois, quando tanto pode ter mudado? Pois bem, talvez tenha mudado, talvez não. E como nem só de receitas vive este blogue, aqui fica a nossa opinião.
O La Ricota está muito bem situado e tem um ar bem acolhedor quando passamos por ele. Mesas próximo da janela, semi encobertas por uma garrafeira que parece "meter respeito". Ao chegarmos, fomos conduzidos pela escadaria que leva ao andar superior, numa sala de elevado pé direito mas que, mesmo assim, mantinha o tom acolhedor. 

Imagem: aeiou-visão

Para entradas sugeriram uma degustação de azeites da casa esporão. Pois muito bem, venham eles. E junto com os azeites veio uma explicação detalhada das diferenças de cada um, num monólogo decorado pela empregada que, caso fosse interrompida, descarrilaria mensagem para todo o sempre. Foi caso para dizer que ficamos logo com os azeites (desculpem a piada fácil).
Como prato principal, e porque em casa comemos sempre muitas massas, ambos escolhemos pizza. Podemos dizer que foram tão memoráveis que, passado poucos meses, eu nem me lembrava do que tinha sido o jantar. Teve que ser o VelSatiS a recordar-me. Pelo preço de cada pizza, ficariamos muitissimo mais bem servidos no Casa D'Oro que, apesar de manter a mesma ementa desde que veio ao mundo, cada tiro cada melro, saem sempre deliciosas!
Durante o jantar, a emprega esteve constantemente assegurar-se de que os nossos copos de vinho não ficavam sequiosos, pelo que fomos interrompidos muito mais do que gostaríamos, tendo-se quebrado a conversa e o "clima" com o constante corropio (teve alturas que me apeteceu gritar-lhe "não tente, ok, só vamos consumir esta garrafa de vinho!"). Não obstante de ficarmos distraídos pelas tatuagens (horríveis, e nós até gostamos de tatuagens, ok?) que lhe enfeitavam os dedos.
Depois de uma pizza assim-assim pensei em salvar o jantar com a minha sobremesa de eleição em Ristorantes: a pannacotta. Pois bem, não tivesse o VelSatiS tomado uma atitude e ainda hoje, quase um ano depois, eu estaria à espera da bendita sobremesa que, tenho que admitir, era boa (valha-nos ao menos isso!). Quem não admitiu que se esqueceu da minha sobremesa foi mesmo o staff do restaurante.
No fim, e como é da praxe (lol), veio "la dolorosa". E que dor!!! Um jantar para duas pessoas com uma entrada de pão e azeite, uma garrafa de vinho e outra de água, 2 pizzas, uma sobremesa e um café ficou pela módica quantia de 60€!!!!!!!!!!!!! Mal saímos para a rua, estava eu ainda atónita e a ver notas de 20€ a esvoaçar para longe dos meus olhinhos, quando ambos verbalizamos a ideia que nos trespassava a mente: aqui nunca mais voltamos! E como a verbalização é uma tomada de consciência...

sexta-feira, 24 de Fevereiro de 2012

Massa com salsichas frescas e mostarda à antiga


Há dias em que se chega a casa e ainda não se sabe o que cozinhar. Abrimos armários, assaltamos o frigorífico, olhamos para todos os cantos em busca de inspiração. E, como sempre, ela lá acaba por surgir. Uns ingredientes chamam pelos outros, numa dança sincronizada do século XIX. E foi mais ou menos assim que a sugestão de hoje chegou aos nossos pratos, embalada por uma melodia afinada e pelo restolhar dos vestidos das senhoras num qualquer salão de festas!


Massa com salsichas frescas e mostarda à antiga

3 salsichas frescas picantes
400g de ervilhas cozidas
4 c. sobremesa de mostarda à antiga
200ml de natas de soja
4 c. sobremesa de amido de milho
Sal e pimenta
Leite qb.
Massa fusili

Cozer a massa em água abundante e sal.
Num tacho, saltear as salsichas em rodelas com a mostarda. Adicionar as natas. Entretanto, diluir o amido de milho num pouco de leite e adicionar às natas. À medida que o molho vai engrossando, continuar a mexer e adicionar o leite até encontrar a consistência desejada.Rectificar os temperos e adicionar as ervilhas. 


Queriamos aproveitar para deixar um beijinho muito especial à Ana Amália, que nos segue sempre com muito carinho :)

English:
Some days we just get home not knowing what to cook. We open cabinets, check the fridge, look out for every corner in search of inspiration. And, as always, inspiration does come. Some ingredients call for others, in a sincronized dance from the XIX century. And that how our dinner made its way to our table, rocked by a well tunned melody and by the ladies' rustling dresses in a ballroom!

Fusili with spicy sausages and wholegrain mustard

3 spicy sausages
400g boiled peas
4 tbs wholegrain mustard
200ml soybean cream
4 tbs corn starch
Salt and pepper
Milk
Fusili pasta

Boil the pasta in plenty water with salt.
In a pan, sauté the sliced sausages with the mustard. Add the soybean cream. Meanwhile, mix the corn starch with a bit of milk and add to the cream. As the sauce gets thicker, keep stiring and and add the milk until it has the right consistency. Season and add the peas.


quinta-feira, 23 de Fevereiro de 2012

Iogurtes de chocolate negro e café


Por vezes, as coisas mais simples representam um dos maiores prazeres da vida. E um pequeno prazer diário que tenho são os iogurtes. Há sempre um dentro da minha marmita, saboreado lentamente após uma peça de fruta. Gosto de terminar o meu almoço com uma guloseima e sendo caseira tanto melhor. Daí que no C&R seja difícil encontrar iogurtes que não sejam pequenos pecados. Os de hoje não são diferentes!


Iogurtes de chocolate negro e café

700ml de leite magro
100g de chocolate negro belga
4 c. chá de café instantâneo forte
50g de leite em pó
1 iogurte natural

Aquecer 300ml de leite e nele derreter o café e o chocolate. Juntar o restante leite, o leite em pó e o iogurte. Homogeneizar com uma varinha mágica, distribuir pelo copos e levar à iogurteira durante pelo menos 10h. Findo o tempo, colocar no frigorífico umas quantas horas antes de servir. Para os gulosos aconselho vivamente a colocarem um pouco de açúcar. Para mim ficaram perfeitos: muito consistentes e espessos mas depois de os mexermos, suaves e macios :p


English:

Sometimes, simple things are life's great pleasures. For me, yoghurts are a daily pleasure. There's always one in my lunchbox, ready to be savored after the fruit. I love finishing my meal with a treat, and if it's home-made, even better! It will be difficullt to find here yoghurts that are not indulgent. Today's are no exception


Dark chocolate and coffee yoghurts

700ml skimmed milk
100g dark belgian chocolate
4 tsp strong instant coffee
50g milk powder
1 natural yoghurt

Heat 300ml of milk and melt in it the coffe and the chocolate. Add the remainder milk, the milk power and the yoghurt. Blend the mix, pour into the glasses and leave in the yoghurt maker for ate least 10h. In the end, place the glasses in the fridge for a few hours before eating. If you're a sweet tooth, add some sugar, but for me they are perfect: very consistent but when mixed, soft and smooth :p


quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2012

Omelete de morcela com grelos e queijo de cabra


Há combinações de sabores que são especiais. Há ingredientes que nos cativam o paladar e a mente , fazendo-nos querer utiliza-los das mais variadas formas. Morcela de sangue e grelos são para mim uma combinação conforto de Inverno. Já aqui apresentamos um maravilhoso risotto, confeccionado pelo VelSatiS e até à data um dos meus preferidos, que celebrava estes dois sabores. Hoje, com o que ficou por utilizar, trazemos uma alternativa, um aproveitamento. Porque quando as coisas são boas queremos aproveitar até a última migalha. Seja comida, seja tempo, seja vida...


Omelete de morcela com grelos e queijo de cabra

Morcela de sangue cozida (aproveitamentos)
Grelos cozidos (aproveitamentos)
6 ovos
Sal, pimenta
Queijo de cabra, fatiado

Numa frigideira de grandes dimensões, colocar a morcela e os grelos em pedaços e aquecer um pouco. Entretanto, bater os ovos com um pouco de sal e pimenta e cobrir com eles a morcela e os grelos. Quando a omelete estiver a a borbulhar à superfície, dobrá-la, com ajuda de uma espátula. Dispor as fatias de queijo no topo e aguardar cerca de 5 mins para terminar de cozinhar. Findo esse tempo, transferir para um prato e levar o queijo a gratinar no microondas (caso não tenha essa função, levar ao forno).


Uma refeição muito simples mas verdadeiramente saborosa. A omelete foi acompanhada por um belíssimo Mac&Cheese cuja receita partilharemos noutro dia.


English:

Some flavor combinations are especial. Some ingredients captivate our senses and mind, making us want to use them in every possible ways. In my opinion, black pudding and greens are a delicious and Winter comfort combination. Some time ago, we shared a wonderful risotto, prepared by VelSatiS, celebrating these two flavors. Today, with some leftovers we share another option to use them. When things are good, we want to enjoy them to the full.

Black pudding, greens and goat cheese omelet 

Black pudding (boiled, leftovers)
Greens (boiled, leftovers)
6 eggs
Salt and pepper
Goat cheese (sliced)

In a large frying pan, heat the greens and black pudding. Meanwhile, beat the eggs seasoned with salt ad pepper. Pour them on the frying pan and leave to cook. When the eggs' surface starts gently boiling, fold the omelet, top with the cheese slices and leave to cook for 5 mins more. Afterwards, transfer the omelet to a plate and leave it under the microwave grill (or in the oven) to melt the cheese.
This is a very simple but absolutely delicious meal. The side dish was a wonderful Mac&Cheese whose recipe we'll share later on.

terça-feira, 21 de Fevereiro de 2012

Feijoada gourmet


Uma feijoada gourmet? E porque não? Quantos não adoram uma bela feijoada, quantos já se esqueceram do quão bom uma feijoada é, quantos nunca provaram uma feijoada? É verdade, este é um prato típico de tanta cozinha por esse mundo fora (sim porque ao contrário do que muitos pensam não é um prato unicamente português, a cozinha grega, italiana, francesa e espanhola possuem todas elas um prato tradicional muito similar ao nosso). Um prato "do pobre", dos tempos em que não tínhamos "a mania que somos ricos". Um prato "para aquecer", dos tempos em que não existiam coisas como aquecimento central e ar condicionado. Um prato "da avó", daqueles que trazem memórias à mesa, enfim, é como aquela fotografia muito antiga de quando éramos pequeninos e que adoramos ver mas que no entanto está algures no fundo de uma arca antiga...esquecida.
Tempo de tirar o pó à fotografia, tempo de reviver, tempo de colocar a foto numa moldura bem no centro da sala onde ela merece estar.


Chefes, à faca....

500g de arroz vaporizado
800g  de feijão branco
2 cebolas
2 dentes de alho
1 cenoura
1 couve coração
1 courgette
1 tomate (grandes dimensões)
Polpa de tomate
Vinho branco
Salsichas e linguiças frescas (do Leandro, no Bolhão)
Sal, pimenta e cominhos


Refogar a cebola juntamente com as salsichas e linguiças em pedaços, para aproveitar a gordura dos enchidos. Adicionar a cenoura e courgette em rodelas, a couve em juliana, o tomate em cubinhos, um pouco de água e deixar reduzir de volume. Juntar a polpa de tomate, meio copo de vinho branco, sal, pimenta e cominhos, deixando cozinhar destapado em lume brando. Quando a cenoura estiver quase cozinhada, adicionar os feijões e rectificar os temperos. Entretanto, preparar o arroz refogando uma cebola e 2 dentes de alho em azeite. Juntar o arroz, mexendo até estar translúcido. Nesta altura, adicionar 2 medidas (do arroz) de água a ferver, bem como o sal, mexendo um pouco. Deixar cozinhar até a água ter evaporado e o arroz estar soltinho. Servir a feijoada com o arroz. Para nós, a melhor maneira de a degustar é misturando o arroz com o feijão :)


As quantidades  preparadas serviram 6 porções. Receita por Ondina Maria e VelSatiS, texto por VelSatiS


English:

Why can't a casserole be a gourmet dish? How many of us love a good casserole, how many have forgotten it's great taste, how many never tried this dish? Casseroles are regional dishes from many countries (Portugal, Greece, Italy, France, Spain) and where considered a poor meal, back in the days when living conditions where harder than nowadays, when there was no central heating or air-conditioning. A grandma style meal that, like an old photo, lies forgotten in some old and dusty trunk. It is time to find the photo, time for revival, time to place it in a nice and modern frame right in the middle of the living room: the spot where it belongs.

Gourmet Casserole

500g vaporized rice
800g white beans (boiled)
2 onions
2 garlic cloves
1 carrot
1 cabbage
1 courgette
1 large tomato
Tomato puree
White wine
Sausages (bought at Leandro Butcher, in Bolhão)
Salt, pepper, cumin

In a large pan, fry the onion with the sausages, to use their fat, until golden and transparent. Add the carrot, courgette, cabbage and tomato finely chopped, together with a bit of water and leave to reduce the veggies volume. Add the tomato purre, half-glass of wine, seasonings and leave to boil with the lid. When the carrot is nearly cooked, add the bean and check the seasoning. Meanwhile prepare the rice by frying the other onion and the garlic with olive oil until golden. Add the rice and stir until translucent. Add boiling water (to measures of rice), salt and stir to avoid sticking rice. Leave it simmering until the water evaporates and the rice is cooked. The best way to eat, is mixing the rice with the beans, though it doesn't look very good, it tastes fab!

segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2012

Quiche vegetariana


O sol brilhante convida ao passeio. Os domingos têm sido assim, perdidos no acordar preguiçoso, no dolce fare niente que serpenteia as horas, lânguido, como que a seduzir o tempo a ficar mais um pouco, a beber mais um trago, a saborear mais uma conversa, por entre risadas e olhares trocados. O sol convida. E nós lá vamos, inebriados pela luz, embriagados pelo calor fraco, iludidos pela promessa de um dia ameno que na verdade acorda os sentidos com um vento frio de bater continência. E ao chegar a casa, sabe bem prolongar o dia, com o sol sentado à mesa, de talheres em riste para degustar as iguarias que o calor do forno prepara. Este sol, bem alimentado e fortalecido, há-de brilhar no Verão, como que agradecendo o alojamento tão hospitaleiro.


Chefes, à faca....

Massa caseira para quiche (quebrada, por ex.)
125g queijo emmental ralado
4 ovos caseiros
1 alho-francês
200g de espargos
250g de ervilhas
250g de milho
100g tomate cherry 
200ml de natas light
150ml de leite magro
Sal
Pimenta


Cortar os espargos em 3 partes, sendo que a base do espargo deve ser cortada novamente (pois é mais dura do que a ponta) para que a cozedura seja uniforme. Cozer os mesmos até se encontrarem macios.
Forrar uma tarteira de 30cm com a massa e reservar.
Dentro de um tacho colocar o alho francês em rodelas seguido dos espargos, cozinhando até a água se evaporar. Por fim adicionar as ervilhas e o milho, misturando bem em lume brando.
Numa taça colocar os ovos e temperar com o sal e pimenta. Juntar as natas e bater bem. Espalhar na massa da tarte o alho-francês, espargos, milho, as ervilhas e os tomates cherry em quartos. De seguida, polvilhar com o queijo Emmental ralado e cobrir com a mistura dos ovos.
Colocar no forno a 180º C durante cerca de 45 minutos ou até estar bem douradinha.
Bom trabalho chefe e bom apetite!


Receita por VelSatiS

domingo, 19 de Fevereiro de 2012

Ovos mascarados em carro alegórico de legumes e arroz


Lembram-se do ovo espacial em estação de legumes e bacon? Pois bem, por cá continua a fazer sucesso. Uma forma simples e rápida de preparar um ovo, em que podemos adicionar o que nos apetecer ou aquilo que estiver a necessitar de ser consumido. A sugestão de hoje já tem algum tempo, esteve em lista de espera para ser revelada ao mundo. Começamos a semana com simplicidade, dando o mote para um terça-feira que em tempos foi gorda mas que agora é magra :p


Ovos mascarados em carro alegórico de legumes e arroz

2 ovos
3 fatias de queijo Gouda
1 punhado de rúcula
Arroz de cenoura

Cortar cada fatia de queijo em quatro quadrados. Revestir os Ovos, com o queijo, adicionar a rúcula e partir um ovo para dentro de cada Ovo. Colocar mais queijo e fechar. Levar ao microondas o tempo necessário para cozinhar os ovos (moles, médios ou duros). Colocar o arroz e os legumes salteados, aquecidos, dentro do anel para formar as camadas. Adicionar os ovos e servir.

 

sexta-feira, 17 de Fevereiro de 2012

Francesinha



José Carlos, é o meu amigo a quem dedico a nossa proposta de hoje. Trata-se da já famosa francesinha, eleita a 10º melhor sandwich do mundo. A receita aqui sugerida é uma variação da apresentada pelo chefe Rui Paula, um excelente Chefe e tripeiro de gema.
Obviamente que nós aqui em casa também adoramos uma bela francesinha e já há muito tempo que ameaçava fazer a minha própria versão, já era tempo de passar das ameaças para a acção.
O meu amigo Kikas adora francesinhas e quando nos visita adora comer uma porque onde ele vive, (lisboa) infelizmente não são... tão saborosas.
Zé, agora não tens desculpa, "manda-te para a cozinha"! Aquele abraço especial e um beijo extra grande para a Andreia e o Francis.


Chefes, à faca....

2 linguiças frescas (adquiridas no talho Leandro localizado no Bolhão)
2 salsichas frescas (")
2 bifes do lombo finos
2 fatias de fiambre
10 fatias de queijo
700g Batatas
Salsa
Sal
Pimenta
50g Parmesão ralado
4 fatias de pão de forma grossas (Chiabata utilizada aqui da autoria da própria Ondina)

Molho:
1 tomate 
50 ml Ketchup picante
20 ml Ketchup
Worcester Sauce q.b.
Tabasco q.b.
1 cubo de caldo de marisco
1 fatia grossa de bacon aos pedaços
1 cebola (grande)
2 dentes de alho picados
2 folhas de louro
500ml cerveja (Super Bock preferencialmente)
80ml vinho branco
50ml Brandy
2 ovos
20g manteiga

Cozer as batatas com a pele até parcialmente prontas. Retirar da água quente, deixar arrefecer, descascar e cortar em palitos. Quando as francesinhas, estiverem quase prontas as batatas são aloiradas em azeite e servidas com salsa, sal e parmesão ralado.


Num tacho de grandes dimensões aloirar a cebola picada junto com o alho, o bacon e o louro. Juntar  o ketchup, o tomate e o vinho branco. Quando estiver a ferver adicionar a cerveja e deixar em lume brando durante 20 minutos para de seguida juntar o caldo de camarão e o brandy. Deixar ferver. Temperar com o tabasco, Worcester sauce e deixar em lume brando durante 3 horas. Por fim retirar o louro e passar a varinha mágica. Retificar os temperos.
As salsichas, linguiças e bifes são grelhados numa frigideira (não esquecer de temperar os bifes com sal e pimenta)
Depois de torrado o pão de forma, construir as francesinhas com respectivamente, pão, bife, 1 salsicha cortada a meio, 1 linguiça cortada a meio, o fiambre, o pão e cobrir generosamente com as fatias de queijo. Levar ao grelhador (previamente aquecido) até o queijo derreter para de seguida colocar 1 ovo estrelado no topo e regar com o molho.
Bom trabalho Chefe e bom Apetite!


Receita por VelSatiS