quinta-feira, 29 de Março de 2012

Bolo de limão e alfazema e uma convidada especial


Candy Candy faz parte do meu imaginário. É o primeiro desenho animado que tenho memória de ver e gostar muito, muito, muito. Candy Candy era linda, loira, de olhos verdes e eu, com o meu cabelo preto cortado à rapaz, invejava-a. E ao mesmo tempo tinha pena dela, por ser orfã e por ter sido adoptada por uma família que a tratava mal. Convidei a Candy Candy para lanchar. A tarde estava soalheira e amena e decidi-me por um bolo de limão, da cor do seu cabelo. Mas não muito doce, porque a vida sempre teve o seu quê de amarga. Candy Candy chegou, num vestido esvoaçante e colorido, com a sua candura de criança perfeitamente enquadrada na sua condição de mulher. Perguntei-lhe se queria chá ou limonada. Com um olhar travesso respondeu "Quero dos dois". E a conversa desenrolou-se como se fossemos duas miúdas. Contei-lhe que adorava vê-la na televisão e que fiquei muito triste quando de um dia para o outro os episódios deixaram de dar. E Candy Candy colocou-me a par das suas peripécias. Da ida para a Europa estudar em Londres. Do regresso aos US. Do curso de enfermagem e da Segunda Guerra Mundial. Dos seus amores e desamores. Do seu benfeitor. E da paz que encontrou finalmente ao lado de Terry, após encontros e desencontros. Foi-se a limonada e o chá aqueceu o corpo que esfriava com o cair da noite. Do bolo restava uma fatia. Candy Candy despediu-se com um abraço caloroso. "Cheira a rosas de Santa Teresinha" pensei eu. Antes de sair estendeu a mão esguia para a última fatia de bolo, piscou-me um olho e disse: "Esta é para o caminho!"


Bolo de limão e alfazema
(adaptado de "Bolo de limão com cobertura de chocolate branco" de Popina, Iguarias saudáveis de Isidora Popovic)


65g de manteiga sem sal à temp. ambiente
125g de açúcar baunilhado
2 ovos grandes
135g de farinha sem fermento
1+1/2 c. chá de fermento em pó
2 limões (raspa fina e sumo)
2 c. chá de alfazema


Pré-aquecer o forno a 170º C. Colocar a manteiga e o açúcar numa tigela e misturar bem com a batedeira eléctrica. Juntar os ovos e bater durante alguns minutos até ficar pálida e fofa. Envolver suavemente a farinha e o fermento. Acrescentar a raspa e o sumo dos limões, a alfazema e mexer até estar bem misturado. Deitar a mistura numa forma de bolo inglês e levar ao forno pré-aquecido durante 25 mins. Quando estiver pronto, o bolo tem uma cor rica dourada e é flexível ao toque. Retirar do forno e deixar arrefecer.


Com este receita participo (finalmente!) na 3ª edição do "Convidei para jantar", iniciativa da Ana (e da sua magnifica Padaria) e que este mês é promovido pela Su e pela sua elegante Suvelle Cuisine.

quarta-feira, 28 de Março de 2012

Quiche de Atum


O dia do Pai ainda faz render o seu peixe. O Pai merece e nós fizemos questão de o demonstrar. Para um lanche-ajantarado preparamos algumas receitas muito apreciadas cá por casa: Pão de courgette, limão e hortelã, Queques de feta, manjericão e tomate-cherry, Tarte de limão. Os pais trouxeram uns belíssimos camarões cozidos. E foi em amena cavaqueira, num belo fim de tarde, que uma Quiche de atum fez as nossas delícias.


Chefes, à faca....

Massa caseira para quiche ou tarte (quebrada)
125g queijo Emmental ralado
4 ovos caseiros
1 alho francês
2 latas de atum
1/2 pimento vermelho
1/2 pimento verde
200ml natas
100ml leite magro
Sal 
Pimenta
Azeite


Forrar uma tarteira com a massa e reservar em frio durante 30 mins. Findo esse tempo, colocar no forno, coberta por papel de alumínio e feijões, a 180º C durante 25 mins.
Numa frigideira alourar o alho francês (em rodelas) e juntar os pimentos picados. Temperar e adicionar o atum (desfiado) e deixar em lume brando.
Numa taça colocar o leite, natas, ovos, temperar e bater bem. Na base da tarte espalhar o conteúdo da frigideira e espalhar o queijo ralado no topo. Regar com a mistura dos ovos. Colocar no forno a 180º durante 45 minutos ou até estar bem douradinha. 
Acompanhar com salada de alface e rabanetes laminados, temperada com vinagrete de balsâmico.
Bom trabalho Chefe e bom apetite!


Receita por VelSatiS

terça-feira, 27 de Março de 2012

Iogurte de After Eight


Este calor repentino pede frescura. E nada melhor que um iogurte! Companheiros de todo o ano, há que saber adaptar os seus sabores às necessidades do organismo. Somos sempre recompensados com o prazer de saborear algo bom, feito por nós. No Inverno reinam as compotas, os chocolates, as bolachas e até bolos. No verão reina a fruta com os seus sabores frescos, os coulis, algumas ervas, os chás e o que mais houver. Porque quando a palavra é iogurtar, vale de tudo um pouco!


Iogurtes de After Eight

1 embalagem de chocolates After Eight
700ml de leite magro
25g de leite em pó
1 iogurte natural

Aquecer 300ml de leite e nele derreter os chocolates. Adicionar o restante leite, o leite em pó e o iogurte natural, misturando muito bem com a varinha mágica. Distribuir a mistura pelos copos e levar à iogurteira durante 12h. Findo esse tempo, colocar no frigorífico.


Este iogurtes são extremamente frescos devido ao recheio dos chocolates. Para os gulosos aconselha-se a colocar um pouco de açúcar.


Aproveitamos ainda para agradecer o chá e as Anitas oferecidos por uma amiga especial, que nos acompanha atentamente e sempre com muito carinho :)

segunda-feira, 26 de Março de 2012

Arroz "Sabor a mar"


Há refeições que, de tão simples e saborosas que são, até parecem mentira. Fáceis de preparar, requerem poucos utensílios e no fim a satisfação é a mesma que um festim. E são super saudáveis. Os ingleses chama-lhes "One pot meal". Eu chamo-lhes o que me vier à cabeça. Importante é que todos saiam satisfeitos :)


Arroz "Sabor a mar"

4 lombos de pescada congelada
1 cebola grande
2 dentes de alho
1 cenoura grande
1/2 couve coração
1/2 pimento vermelho
1 c. chá de coentros em pó
Sal, pimenta e azeite
350g de arroz vaporizado

Num tacho grande refogar a cebola, os alhos e o pimento. Juntar os coentros e deixar amolecer. Adicionar a cenoura em quartos de rodela e a couve em juliana e deixar reduzir um pouco. Acrescentar 4 medidas de água, o peixe e temperar com sal e pimenta. Deixar cozinhar por 5 mins e adicionar o arroz mexendo um pouco. Durante a cozedura do arroz, mexer umas poucas vezes e partir, com a colher, os lombos da pescada. Antes de servir, rectificar os temperos.


Curiosamente, este arroz sabia a ameijoas :)


sexta-feira, 23 de Março de 2012

Risotto de cogumelos


A Primavera é uma estação de cores suaves salpicadas por laivos intensos de paixão. Tons amenos mas aconchegantes, com a promessa do calor cálido do sol e a frescura das brisas suaves. É o despertar após o torpor induzido pelo frio, após o recolher quase obrigatório à concha que encerra cada um dos nossos mundinhos. É o apurar dos sentidos. Todos. Em uníssono ficam alerta para a vida que se vai desenrolando num ciclo para lá do milenar. O olhar estende-se no horizonte infinito. A audição vibra com os zumbidos e chilreio. O toque deleita-se com a frescura. O olfacto embriaga-se pelos aromas perfumados. E o paladar, o paladar rende-se aos sabores da estação...



Chefes, à faca....

300g risotto arborio
1 alho francês
300g cogumelos frescos
1 folha de louro
1 ramo de rosmaninho
150ml vinho tinto
100g rúcula
75g de manteiga
100g parmesão
Sal 
Pimenta
Azeite


Deixar os cogumelos em água a ferver (caldo).
Numa frigideira de grandes dimensões com azeite deixar alourar o alho francês (em rodelas). De seguida juntar o louro, o rosmaninho, os cogumelos (laminados) e o arroz. Adicionar o vinho e temperar. Depois de evaporado o vinho junte o caldo anteriormente reservado em porções e mexer até a água evaporar, repetir o processo até o arroz se encontrar correctamente cozido. Por fim corrigir os temperos e juntar a rúcula, manteiga e o parmesão ralado. Misturar bem e servir.
Bom trabalho Chefe e bom apetite!


Receita por VelSatiS

quinta-feira, 22 de Março de 2012

Pão de courgette com hortelã e limão


Há combinações de sabores que são uma surpresa. Lê-mos uma receita, os ingredientes agradam-nos, temos quase a certeza que será saboroso mas o resultado final é sempre uma incógnita. E ainda bem que assim é. Porque é bom ter aquela curiosidade de querer experimentar o bolo que ainda está no forno, ou o arroz que ainda não cozeu, ou o pão que ainda vai a meio do ciclo. É bom sentir a casa perfumada pela iguarias que nos atiçam e apuram os sentidos para o momento em que saboreamos o fruto do nosso trabalho pela primeira vez.


Pão de courgette com hortelã e limão
(adaptado de "200 receitas de pão" da Civilização)

225g de courgette
2 c. sopa + 1/2 c. chá de sal
175ml de água
75ml de azeite
1/2 c. chá de pimenta preta
Casca ralada de 1 limão
2 c. sopa de hortelã picada
400g de farinha de trigo T65
1 c. sopa de açúcar
1+1/4 c. chá de fermento bio seco

Ralar grosseiramente a courgette e misturar com as 2 c. sopa de sal num passador. Deixar repousar por 30 mins. Lavar a courgette com água fria e secar com papel absorvente.
Colocar os ingredientes na cuba da MFP pela ordem indicada no manual e escolher o programa Normal/Básico para um pão de 750g com a cor de côdea desejada. Ao ouvir o sinal sonoro juntar a courgette, o hortelã e o limão. No fim do programa, retirar o pão da cuba e deixar arrefecer sobre uma rede.


Notas: a receita original leva ainda 3 c. sopa de alcaparras lavadas e escorridas que não foram colocadas porque o VelSatiS não aprecia. 
O ideal é colocar todos os ingredientes logo no início do programa (com excepção das alcaparras) pois a duração dos ciclos "amassar" não foi suficiente para incorporar de forma totalmente uniforme na massa a courgette, o limão e a hortelã.
Este pão é extremamente saboroso, óptimo quando torrado e barrado com um pouco de manteiga e pode ser degustado mesmo ao pequeno-almoço. Foi parte integrante do nosso lanche-ajantarado do dia do Pai :)

quarta-feira, 21 de Março de 2012

Tarte de limão


Os limões chegaram cá a casa com abundância. Uma boa parte deles foi presente do ZeL, que também já me tinha oferecido a mega-abóbora. No domingo passado organizamos uma ementa leve para um lanche-ajantarado: camarões cozidos, queques de feta, manjericão e tomate-cherry, quiche de atum e pimentos, pão de courgette, limão e menta e, como sobremesa, uma deliciosa tarte clássica de limão. Um presente para o Pai, com aromas de Primavera.


Tarte de limão
(recheio adaptado de Tarte de limão clássica, do "200 receitas de Bolos e Bolachas" da Civilização)

1 base de massa quebrada caseira
(utilizamos a massa das quiches, com açúcar em vez de sal)
3 ovos + 1 gema
400ml de natas light
100g de açúcar baunilhado
150ml de sumo de limão

Preparar a massa da tarte e forrar a tarteira untada com a massa, reservando no frigorífico durante 20mins.  Findo esse tempo, cobrir a massa com papel de alumínio e feijões secos e levar ao forno pré-aquecido a 180º C durante 20mins.
Entretanto, bater todos os ingredientes do recheio, vertê-los sobre a massa dourada e estaladiça e levar ao forno durante 25mins ou até o recheio estar firme. Deixar arrefecer por completo antes de fatiar e servir.


   

terça-feira, 20 de Março de 2012

Pizza de mozzarella e tomate-cherry


Domingo. Dia do Pai. Almoço tardio e lanche ajantarado para preparar (mimo para o Pai). O sol aquece a varanda e as flores perfumam o ar. O tempo não estica e o forno não cresce. Mas a barriga lembra que é tempo de comer. Os neurónios, cansados e sem alimento, gritam desesperados: pizza, pizza, pizza! E cá está ela!

Antes de ir ao forno

Pizza de mozzarella e tomate-cherry

1 base caseira de pizza
Molho de tomate e manjericão
1 bola de queijo mozzarella
Tomates-cherry
Oregãos secos

Mais simples impossível: estender a massa e picar com um garfo. Cobrir generosamente com o molho de tomate e manjericão. Cortar o queijo em rodelas finas e os tomates em quartos, distribuindo pela pizza. Polvilhar com os oregãos e levar ao forno pré-aquecido a 200º C durante cerca de 20 mins ou até estar bem douradinha.


segunda-feira, 19 de Março de 2012

Massa batoteira


Durante a semana andamos sempre a correr. O tempo nunca chega. Ou melhor, o tempo chega até nós mas vai embora num abrir e fechar de olhos. E por fazer ficam milhentas coisas. E por dizer ficam outras tantas. E ficam pessoas por ver, telefonemas por fazer. Por vezes, até o jantar quase fica também ele por fazer. Para os dias assim, convém sempre ter ingredientes salva-vidas. Ou melhor, salva-barrigas!


Massa batoteira

300g de bacon em cubos
1 alho-francês grande
1 frasco (340g) de molho de tomate para bolonhesa (Pingo Doce)
2 iogurtes gregos naturais
Leite magro q.b.
500g de tagliatelle
Parmesão em pó (opcional)

Cozer a massa em água abundante e sal.
Numa frigideira grande colocar o bacon e deixá-lo fritar na própria gordura até estaladiço. Juntar o alho francês em rodelas e refogar. Adicionar o molho de tomate, incorporar os iogurtes e juntar leite até o molho ter a consistência desejada.
Quando a massa estiver al dente, escorrer e misturar no molho de tomate. Servir polvilhado com parmesão em pó.


Um pouco de batota nunca fez mal a ninguém e assim por vezes temos mais tempo para aquilo que realmente importa :)

sábado, 17 de Março de 2012

Bolo de café com recheio de banana


São poucas as vezes em que não haja vontade de fazer um bolo. Só a falta de tempo é que condiciona estas vontades. E foi assim que este bolo nasceu, da vontade de comer uma guloseima, dos ingredientes disponíveis em casa e do fim de semana, que nos permite ter tempo para devaneios gastronómicos.


Bolo de café com recheio de banana ou uma espécie de Bolo Bananoffee
(massa adaptada do Bolo de café à antiga, de "200 receitas de Bolos e Bolachas, da Civilização)

175g de manteiga amolecida
175g + 2 c. chá de açúcar amarelo claro
175g de farinha com fermento
1 c. chá de fermento
3 ovos grandes
3c. chá de café instantâneo dissolvido em 2 c.chá de água a ferver
1 queijo fresco magro (Matinal)
2 iogurtes naturais
2 bananas maduras


Bater todos os ingredientes com a batedeira eléctrica ou num robot de cozinha. Colocar a massa numa forma rectangular, previamente untada e forrada com papel vegetal untado. Alisar a superfície da massa e levar ao forno pré-aquecido a 180º C durante cerca de 20 - 25 mins.
Entretanto preparar o recheio migando as bananas com um garfo. Migar muito bem o queijo fresco e misturar com os iogurtes. Incorporar as bananas e as duas colheres de açúcar (nota: se o recheio não for consumido de imediato, adicionar um pouco de sumo de limão para que a banana não oxide).
Quando o bolo tiver arrefecido, cortar em duas partes iguais, espalhar o recheio por cima de uma das partes e cobrir com a outra.

quinta-feira, 15 de Março de 2012

Lasagna alla Bolognese


Depois de um dia pela serra, a ver o gado pastar, ouvir o som da água nas cascatas, respirar o ar fresco e puro e aproveitar tudo o que tem de bom a natureza em dias amenos, chegar a casa pede descanso. É vê-los a querer sentar à mesa e ter um lauto jantar no prato, à espera do tilintar dos talheres nos pratos. Lamentamos! Mas por aqui isso não acontece! Não vive aqui nenhuma fada do lar escravizada. As nossas fadas do lar são sindicalizadas e têm folgas como os demais. Por isso, mesmo depois de um longo passeio, fomos para a cozinha, pois quatro mãos trabalham mais depressa do que duas. E foi a quatro mãos que fizemos esta Lasagna alla Bolognese, tão típico da gastromonia Emiliana mas, ao mesmo tempo, tão universal que podemos bem dizer ser um prato típico de qualquer um de nós!



Lasagna alla Bolognese

500g de carne de vaca picada
1 cebola grande
1 cenoura
2 dentes de alho
2 tomates maduros
250ml de polpa de tomate
250ml de vinho tinto
Azeite
Sal
Pimenta
Salsa
Louro
Pau de canela
60g de manteiga
100g de farinha
800ml de leite
Sal
Noz-moscada
Parmesão ralado
350g de placas de massa fresca


Colocar num tacho a cebola picada e os dentes de alho em azeite a alourar. De seguida, juntar a carne picada e deixar em baixo lume até ganhar cor. Adicionar os restantes ingredientes: cenoura, louro, canela, os tomates em pedaços e o vinho tinto. Temperar a gosto (sal, pimenta e salsa). Quando o vinho se encontrar parcialmente evaporado juntar a polpa de tomate e deixar em lume médio durante cerca de 30 minutos. Provar e ajustar temperos.
Entretanto, preparar o bechamel derretendo a manteiga. Misturar a farinha e mexer enquanto forma bolas. Deixar cozinhar um minuto e adicionar adicionar um pouco de leite, mexendo sempre. Continuar a adicionar o leite, aos poucos, mexendo sempre e tendo cuidado para não pegar no fundo do tacho. Terminar quando o bechamel tiver a consistência desejada. Temperar com sal e noz-moscada. Reservar.
Para a montagem da lasanha, untar uma travessa refratária, cobrir com uma camada de carne, uma camada de bechamel e uma camada de placas de massa. Repetir até terminar a carne e as placas, terminando com uma camada final de bechamel polvilhado com parmesão ralado.
Levar ao forno pré-aquecido a 180º C durante cerca de 40 mins. Esperar 15 mins antes de cortar e servir.