segunda-feira, 28 de maio de 2012

Em lume brando

É assim que vamos estar por uns dias. Com a Ondina Maria parciamente de "molho" e o VelSatiS a braços com trabalhos forçados, as refeições vão ser simples e as partilhas por aqui racionadas.

VelSatiS reclama enquanto Ondina Maria pasta @ Serra da Freita

domingo, 27 de maio de 2012

Arroz de ameijoas e pescada


Uma ida ao Bolhão. Como sempre. Sábado ao final da manhã, quando já todos os matutinos fizeram as suas compras e pelas antigas alas apenas andam os muito atrasados e os turistas, de câmara em riste, a fotografar um mercado decadentemente resistente. Depois dos vegetais, desço à zona das peixarias. À minha espera está o ultimo saquinho de berbigão. Vem para casa comigo, feliz e contente. O berbigão e eu. Depois de parar na banca dos feijões e na da fruta, de onde também vieram uns ovinhos caseiros, dá-se o regresso a casa. Ao fim do dia alinham-se os astros para o jantar. Constelações de velas tremelicantes e o céu com cor de vinho tinto. Melhor? Impossível :)


Arroz de ameijoas e pescada

1 saco (cerca de 500g) de berbigão
4 lombos de pescada congelada
1 cebola grande
3 dentes de alho
1 chávena almoçadeira grande de arroz vaporizado
Azeite
Sal e piri-piri

Lavar muito bem o berbigão. Colocar numa taça com água abundante e sal durante pelo menos 1h (neste caso ficou 3h).
Num tacho, refogar a cebola e o alho em azeite. Escorrer o berbigão e colocar no tacho durante 5 mins ou até que o berbigão abra. Retirar o berbigão, com um escumadeira, para uma taça e deitar fora os que tiverem ficado fechados. Reservar. Acrescentar 3 medidas (de arroz) de água, acrescentar a pescada e deixar levantar fervura. Introduzir o arroz, mexer bem e deixar cozinhar. 5 mins antes de servir introduzir o berbigão e ajustar os temperos. 


quinta-feira, 24 de maio de 2012

Salada Niçoise


O tempo é quente. Pelo menos enquanto o S. Pedro não se decide a trocar-nos as voltas novamente. O sol que se prolonga noite dentro faz-nos esquecer das horas e todos os dias são fim de semana. Está instalada a confusão! Por vezes o relógio atraiçoa-nos e quando damos por ela já muito devia de estar cortado, fatiado, descascado. O jantar prepara-se sem o declínio do sol e parece que a primeira garfada acontece cada vez mais cedo. O deleite com a luz do dia ganha novos contornos e os próprios sabores parecem (e apetecem!!!) diferentes. Porque diferentes também são os dias, que se desenrolam como um novelo de lã nas patas de um gato :)


Chefes, à faca....

2 filetes de salmão
300g batata nova
100g feijão verde
Folhas manjericão grego qb.
Manjericão qb.
Mostarda Dijon
150g tomate cherry
Vinagre balsâmico
1 clara de ovo
Óleo de girassol
1 cebola
Salsa fresca
2 limões
100ml vinho branco
Açafrão
Sal
Azeite
Pimenta




Num tacho cozer, em água com sal e um pouco de azeite, as batatas e o feijão verde. Mais tarde, estes serão salteados numa frigideira com azeite até estarem o aspecto ser de assado.
Numa taça, com os tomates cherry cortados em metades, juntar as folhas de majericão, azeite, sal e vinagre balsâmico. Misturar e reservar.
Para fazer a maionese juntar uma clara de ovo e uma colher de chá de mostarda Dijon e bater bem. Lentamente adicionar o óleo de girassol até a consistência ser cremosa, temperar com sal e pimenta e adicionar um pouco de raspa de limão e uma folhas de manjericão grego. Bater bem e reservar.
Num tacho colocar água suficiente para cobrir o salmão, adicionar cebola em rodelas, salsa, sal, pimenta, azeite, vinagre de vinho branco, vinho branco, açafrão e raspa de limão. Depois de a água estar quente, juntar o salmão e deixar durante 10 minutos. Retirar do lume e deixar arrefecer junto com a água.
Empratar. Bom trabalho Chefe e bom apetite!!!


Receita por VelSatiS, adaptada de Gordon Ramsay

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Preto, rosa e branco ou uma sobremesa tricolor


Preto. As bolachas.
Rosa. Os morangos.
Branco. O iogurte.
Cores. Texturas. Sabores. Todos diferentes, todos num só.


Sobremesa tricolor de bolacha, fruta e iogurte

1 pacote de bolachas Oreo
500g de morangos
2 bananas maduras
3 c. de sopa de gérmen de trigo
5 c. chá de açúcar baunilhado (1 por cada taça)
400g de iogurte grego

Triturar as bolachas de forma grosseira e distribuir pelo fundo das taças. Lavar os morangos, retirar os pés e bater no liquidificador com as bananas descascadas. Adicionar o gérmen de trigo e o açúcar, misturando bem. Verter, cuidadosamente, este preparado sobre a camada de bolacha. Em cada taça, colocar 3 generosas colheres de sobremesa de iogurte grego batido. Levar ao frigorífico durante pelo menos 3 horas. Servir polvilhado com chocolate em pó.


Peek-a-boo here, se gostam de coisas bonitas e doces. Sem açúcar. Daquelas que alimentam a alma :)

terça-feira, 22 de maio de 2012

Pizzas de queijo na frigideira


O sol voltou a brilhar, lindo, alto, glorioso. E apesar de o vento ainda ser fresco há vontades a que não se resiste: fins de tarde preguiçosos a ouvir as ondas no mar tentando conquistar os grãos de areia, regressos a casa com o cheiro a maresia impregnado nos cabelos, jantares na varanda com o lusco-fusco descontraído, velas aqui e acolá, ponteando a crescente escuridão. Há vontades de comidas leves, frescas, simples, rápidas de fazer e ainda mais rápidas de comer, dedos lambuzados que passeiam encantados pelos alimentos do prato.  
Se a vida é assim tão simples, não vale a pena complicar :)


Pizzas de queijo na frigideira

200ml de água
2 c. sopa de azeite
1 c. chá de sal
300g de farinha T65
1 c. chá de açúcar
1 c. chá de fermento bio seco
1 punhado de folhas de manjericão fresco
Molho de tomate e manjericão q.b.
Queijos variados (cabra+ovelha, brie+mozzarella)

Colocar os ingredientes da cuba da MFP seguindo a ordem indicada pelo manual e escolher o programa Massa. Quando o programa terminar, retirar a massa da cuba, dividir em duas partes iguais e estender cada metade directamente numa frigideira. Levar as frigideiras a lume médio-alto durante 5 mins, para dourar a massa. Virar as bases e colocar os ingredientes escolhidos: cobrir a base com o molho de tomate, dispor os queijos fatiados em cima do molho, polvilhar com oregãos secos, tapar e deixar cozinhar até que a  massa esteja pronta e os queijos bem derretidos.



segunda-feira, 21 de maio de 2012

Lombinhos de pescada


Os sabores do mar e da terra, unidos, com o melhor de ambos os mundos. As cores suaves onde o olhar repousa abrem caminho aos outros sentidos. O olfacto e o paladar, inebriados, competem na ânsia de saber qual deles conseguirá arrecadar a medalha do sentido mais arrebatado. E o tilintar de talheres já se faz sentir, compassado, em uníssono, para uma simples, mas sempre saborosa, degustação!


Chefes, à faca....

4 lombos de pescada
4 folhas de menta picada
400g batata nova
1 cenoura
1/4 pimento vermelho
1 alho francês
100g rúcula
Sumo de 1 lima
Azeite
Sal
Pimenta


Numa frigideira, com um pouco de azeite previamente aquecido, deitar os lombos de pescada já temperados com a menta picada, sal e pimenta deixando cerca de 5 minutos de cada lado e terminando com o sumo da lima.
Numa frigideira, ou tacho de grandes dimensões, fazer um refogado com o alho francês para de seguida colocar o pimento, a cenoura e as batatas (previamente cozidas). Temperar a gosto mexer bem e terminar com a rúcula.
Empratar. Bom trabalho Chefe, e bom apetite!!!


Receita por VelSatis

domingo, 20 de maio de 2012

Iogurte de coalhada de morango


Para começar bem a semana. As fornadas de iogurtes sucedem-se, embora nem sempre sejam aqui partilhadas (muitas por já o terem sido - gostamos de revisitar os clássicos). Os morangos abundam, é a época deles e há que aproveitá-los bem. Perto está o dia em que sentiremos a falta do seu cheiro e sabor, rapidamente ultrapassados por outra fruta da época. Assim sendo, uma pequenina ode aos morangos, sob a forma de vidrinhos de iogurte!


Iogurte de coalhada de morango

600ml de leite
40g de leite em pó
1 iogurte natural

Cobrir o fundo de cada vidrinho com coalhada de morango. Entretanto, misturar o leite, o leite em pó e o iogurte no liquidificador e verter cuidadosamente para os frasquinhos. Levar à iogurteira por 12h e ao frigorífico por outras 12h, antes de servir.


Nota: os gulosos poderão querer adicionar um pouco de açúcar à mistura do leite com iogurte mas para o nosso paladar está bem assim.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Cheesecake sem cake e uns morangos borrachos


Esta sobremesa vem atrasada. Mas ainda assim chegou a tempo. Foi feita para a Mãe, ou para o dia dela, mas qualquer dia é um bom dia para partilhar uma belíssima taça. Desta vez as bolachas não foram convidadas, mas os mais gulosos podem sempre triturar umas quantas para o fundo das taças, apreciando assim o crocante do cake. Sobrou mais espaço para a fruta e para o iogurte, que apesar de grego continua caro. E hoje, com este tempo que não se decide se é frio ou se é quente, esta sobremesa ganhou novos contornos e fez o seu sorrateiro caminho para ser finalmente partilhada. Tragam as vossas colheres!


Cheesecake sem cake e uns morangos borrachos

500g de morangos
200g de queijo creme de barrar
500g de iogurte grego
1 cálice de licor de framboesa
Açúcar baunilhado q.b.

Lavar os morangos, retirar o pé e triturar com açúcar a gosto. Misturar o queijo com o iogurte e o licor. Preparar as taças colocando a mistura branca no fundo e cobrindo com a polpa de morango. Levar ao frigorífico pelo menos 3h antes de servir.


Em vez do licor de framboesa pode ser utilizado qualquer licor da vossa preferência, resulta muito bem com Lemoncello. Pode também substituir-se o licor por raspa e sumo de limão ou lima (ou até laranja, tangerina, toranja), mas poderá ser necessário adicionar um pouco de açúcar ou adoçar mais a polpa de morango, para compensar a adição dos citrinos. 

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Panquecas salgadas e um convidado inesperado


A campainha tocou. Deve ser o André, pensei. Entretanto, após o abrir da porta, ouvi o Vel falar em inglês. Achei estranho mas continuei pois já estava com o jantar atrasado. De repente, entra na cozinha um homem alto, de cara estranha. Lembro-me de pensar "de onde raio me saiu este Popeye???" mas logo congelei. Mr Tarantino? Na minha cozinha? É agora que se me dá um treco... Fui salva pelo Tarantino himself que, pelo à vontade da coisa, deve estar habituadíssimo a irromper pelas cozinhas estranhas adentro. "Disserem-me que aqui se comia bem" disse ele. Olhei para o meu improvisado jantar, sorri com ar de cachorro abandonado e disse "acho que vai ficar desapontado, mas seja bem vindo à nossa mesa". O Vel fez as honras de anfitrião e entreteve o convidado inesperado enquanto a labuta decorria na cozinha. Na sala, ouvia-se falar de filmes: Pulp Fiction, Kill Bill, Inglorious Basterds, Reservoir Dogs. Cheguei a uma divisão remodelada, com cadeiras afastadas para um canto e a mesa bem no meio de uma pirueta de luta improvisada por ambos. "Outra criançola grande" pensei. Atacamos a comida. Entre galhofa e conversas sérias (de onde raio vêm as ideias para os filmes, como é receber tanto galardão, a compra do New Beverly, etc.) dei por mim a reparar que Mr Tarantino mergulhava pedaços de panqueca no dip dos Tex-Mex. "Este é dos nossos, topa a tudo. Ainda gosto mais dele" :)


Panquecas salgadas e um dip de iogurte e pepino

2 chávenas (300ml) de farinha
2 c. chá de fermento
1 c. chá de sal
2 c. sopa de pimentão doce
2 ovos
1+1/2 chávena de leite
70g de margarina líquida
200g de bacon ou chouriço vegetariano (de soja, por exemplo)
1/4 de pimento vermelho
200g de milho
1 pepino
400g de iogurte grego
1 c. chá de mistura para Tzatziki
Aperitivos Tex-Mex
100g de rúcula selvagem
125g de tomate chucha
4 rabanetes
Azeite e vinagre balsâmico

Numa frigideira média alourar o bacon, ou chouriço vegetariano, com o pimento. Entretanto, misturar a farinha, o fermento, o sal e o pimentão doce numa taça e bater os ovos com o leite e a margarina noutra taça. Juntar os sólidos aos líquidos, mexer bem com um fouet e reservar. Quando o pimento e o bacon, ou chouriço vegetariano, estiverem torradinhos, escorrer e deixar arrefecer um pouco.
Entretanto preparar o dip: ralar o pepino, misturar no iogurte e incorporar a mistura para Tzatziki. Colocar num prato e servir com os aperitivos Tex-Mex.
Misturar o milho, o pimento e bacon/chouriço na massa das panquecas e deitar duas colheres de sopa na frigideira anterior. Cozinhar em lume médio até a superfície ganhar bolhinhas. Virar e terminar de cozinhar. Antes de servir, cortar as panquecas ao meio.
Acompanhar com a salada de rúcula, tomates aos quartos e rabanetes laminados temperados com azeite e vinagre balsâmico.


A receita das panquecas é a mesma que utilizamos para as doces, apenas se substituiu 1/3 de chávena de açúcar pelo sal. As salgadas são tão versáteis quanto as outras, portanto a imaginação é o limite!
Com esta receita participamos no passatempo "Convidei para jantar" que este mês está muitíssimo bem alojado no delicioso Receitas do Menu Verde com o tema Realizadores de cinema.


terça-feira, 15 de maio de 2012

Coalhada de morangos


Em todas as frutarias o vermelho é rei: morangos grandes e gordos, provenientes das estufas (muito provavelmente!), assaltam-nos o olhar. Lindos, vermelhos, com o seu pézinho verde, a coroar um sabor que adivinhamos quase perfeito. Mas no mercado os morangos são melhores. Penso eu de que. E têm sido! Saborosos, carnudos, suculentos, quase que a fazer lembrar os morangos da minha infância. Sim! Porque há 50 anos atrás... Minto! Há 25 anos atrás, quando eu era uma criança, a fruta tinha outro sabor! E outro aspecto também. Por vezes os frutos eram mais mirrados, ou tinham mazelas, alguns tinham mesmo feitios bem estranhos. Mas sabiam a fruta. E os morangos sabiam a morango em vez de saberem a água de lavar os mesmos! Devaneios à parte... Não vos sabe mesmo bem entrar num mercado e ver as bancas repletas de fruta colorida? 


Coalhada de morangos
(adaptada daqui)

2 ovos
75g de açúcar
300g de morangos
2 c. sopa de manteiga
1 c. sopa de farinha Custard (bem cheia!)

Lavar os morangos, retirar-lhe o pé e reduzir a puré. Num tacho de fundo duplo colocar o açúcar, a farinha e os ovos batidos, misturando bem para evitar a formação de grumos. A acrescentar os morangos, levando a lume médio sem parar de mexer. A mistura torna-se mais espessa ao fim de alguns minutos, pelo que deve continuar-se a mexer sempre até se conseguir ver o fundo do tacho. Retirar do lume e acrescentar a manteiga, batendo bem. Colocar a coalhada em frascos previamente esterilizados e guardar no frigorífico.


Nota: esta é uma coalhada boa para comer à colher, apesar de também ficar excelente em iogurtes. Parece um creme de morango :)

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Almôndegas com molho de tomate e esparguete


Há pratos que nos lembram pessoas. Alturas da vida. Sabores conseguidos por mãos experientes. As almôndegas com molho de tomate e esparguete lembram os almoços do secundário. Lembram-me a companhia da Sofia e do seu cabelo castanho com laivos arruivados. Lembram-me as tarde do "Agora Escolha", passadas com um olho na televisão e o outro nos cadernos. Lembram-me as palas com laca e gostar de rapazes em segredo. Lembram-me as bolinhas de carne moldadas pelas mãos da minha mãe, atarefada entre múltiplas tarefas domésticas e a correria casa-trabalho-casa, conseguindo a proeza mais do que mágica de manter a ordem natural do Universo (e manter-me na ordem também!).


Almôndegas com molho de tomate e esparguete à minha moda
(um tiquinho adaptadas de "Almondegas com fusili" de o Livro Essencial das Massas)

850g de carne de vaca picada
90g de pão ralado
5 colheres de queijo emmental ralado na altura
1 cebola grande finamente picada
1 punhado de salsa fresca picada
1 ovo grande, batido
1 dente de alho, grande, esmagado
1 limão (raspa e sumo)
400g de polpa de tomate 
1 cubo de caldo de carne
150 ml de água
100ml de vinho tinto
1 punhado de manjericão fresco picado, acabado de colher
Azeite, sal, piri-piri
750g - 1kg de esparguete

Numa taça grande, misturar a carne com o pão ralado, queijo, a cebola, a salsa, o ovo, o alho, a raspa e o sumo do limão, sal e piri-piri a gosto. Moldar a mistura em bolas que caibam bem na palma da mão. Numa frigideira de grandes dimensões, alourar as almôndegas com um pouco de azeite. Retirar para um prato e reservar.
Para o molho, na mesma frigideira, juntar a polpa de tomate, o cubo de caldo, a água, o vinho, o manjericão e piri-piri e deixar ferver. Colocar as almôndegas no molho, em lume médio baixo para cozinhar durante cerca de 15 mins. Antes de servir, rectificar os temperos, se necessário.
Entretanto, cozer o esparguete al dente em água abundante e sal. Escorrer e servir com as almôndegas e o molho de tomate. Acompanhar com um bom vinho maduro tinto.


Notas: Estas almôndegas são extremamente tenras e aromáticas. Pode utilizar-se mistura de carne de vaca e porco, mistura de carne de vaca com soja (granulada demolhada) ou carne de peru. 


domingo, 13 de maio de 2012

Brioche e um fim de semana perfeito


Bom tempo. Jantar com a Anna e o Mathew. Os sabores bem portugueses. Os bares out da zona in.
Bom tempo. Piquenique. Entorse nas pedras irregulares. Iguarias em caixinhas partilhadas numa toalha aos quadrados. E a baguette francesa não podia faltar. O grasnar dos gansos e a elegância dos cisnes. A relva macia pisada pelos pés descalços.
Bom tempo. O habitual passeio pela cidade. O atravessar o rio em rumo ao vinho do Porto. As nossas conversas misturadas com as dos outros. A família.
Bom tempo. O tempo que se passou. Que se passa. E que há-de vir. E prepara-se a semana. Boa. Sempre.


Brioche 

3 ovos batidos
75g de manteiga sem sal, amolecida
1/4 c. chá de sal
250g de farinha T65
25g de açúcar
1 c. chá de fermento bio seco
gema de ovo, para pincelar

Colocar os ingredientes na cuba da MFP na ordem indicada pelo manual. Seleccionar o programa massa.
Entretanto barrar uma forma de bolo inglês de 1kg. Quando o programa terminar, colocar a massa na forma e deixar levedar num local quente (foi colocado no microondas que tinha sido ligado, vazio, na potência máxima durante 1min) durante 1h ou até duplicar de tamanho. Findo este tempo, misturar a gema de ovo com uma colher de sopa de água e pincelar, suavemente, a superfície de massa. Levar ao forno pré-aquecido a 220ºC durante 25 mins ou até estar douradinho e firme. Tapar com papel de alumínio se a côdea começar a ficar queimada.

Nota: os outros pães são variações das receitas de No Knead bread com aveia e com farinha 3A's. 

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Salmão amanteigado


Os sabores que se conhece. E que se aprecia. As combinações que saboreamos de cor, de olhos fechados e palato bem apurado. Uma refeição simples, em que aquilo que outrora foi novidade é hoje revisitado como se fizéssemos o caminho para a escola primária, como se calcorreássemos as pedras da calçada a caminho do mercado, atentos à lenga-lenga da avó que nos distraía no tempo da caminhada: "Manel ceguinho, em cima de um burrinho, burrinho é fraco em cima de um macaco, macaco é de ferro em cima de um martelo, martelo bate sola em cima de uma bola, a bola é redonda em cima de uma pomba, a pomba é branca é cima de uma tampa, a tampa partiu e a pomba fugiu, lá vai ela!!!!!". Porque as refeições também são memórias, que nos arrastam num turbilhão de outras tantas memórias, revisitadas, como se de uma  garfada se tratassem...


Chefes, à faca....

2 filetes de salmão frescos
1 lima
1 colher de sopa de Mostarda Dijon 
200ml natas
2 folhas de menta
300g de cogumelos frescos
50g manteiga
1/4 de pimento vermelho
8 batatas
1 alho francês
1 cebola
Azeite
Sal
Pimenta


Num tacho com azeite, alourar uma cebola cortada em pedaços. Juntar de seguida o pimento picado, deixar até o refogado se encontrar uniformemente cozinhado. Adicionar o arroz e 2 chávenas e meia de água, temperar a gosto com sal, pimenta, manjericão e tomilho. Deixar cozinhar e reservar.
Entretanto, colocar as postas de salmão já temperadas com sal e pimenta numa frigideira, com o lado externo virado para baixo primeiro, e deixar 6 minutos de cada lado em lume forte. Juntar a manteiga ao salmão e deixar até este apresentar a consistência exterior cremosa. Retirar do lume.
Numa frigideira com azeite colocar os cogumelos em lume brando até a água dos mesmos evaporar. Colocar a mostarda e a menta picada, mexer bem e acabar com as natas.
Bom trabalho Chefe e bom apetite!


Receita por VelSatiS

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Batido de morango e menta


Disseram que o calor vinha por aí. Por cá continua tímido. O sol ainda se tentou esconder por detrás das nuvens que o tentavam atraiçoar. De manhã a chuva ainda tentou ameaçar os pedestres, mas de pouco lhe serviu. A temperatura, amena, convida-nos a refeições leves e a bebidas frescas. Pela manhã, o leite com café foi destronado. Rei sem coroa, arrumado na prateleira em detrimento das frutas. Não te preocupes, o teu tempo há-de voltar. Volta sempre :)


Batido de morango e menta

300g de morangos
800ml de leite magro
200ml de iogurte grego natural
1 punhado de menta (acabada de colher)
Açúcar baunilhado a gosto

Lavar os morangos, retirar o pé e colocar no copo do liquidificador. Juntar os restantes ingredientes e bater muito bem. Provar e rectificar o açúcar, se necessário.


O iogurte grego confere cremosidade ao batido e a menta refresca o paladar. O açúcar deve ser apenas o suficiente para realçar e combinar todos os sabores.